Mudanças na nova gestão do Detran animam motoristas

Raquel Morais –

Após sete meses de gestão, o atual presidente do Departamento de Trânsito do Rio (Detran-RJ), Vinícius Farah, comentou as mudanças que implantou no órgão. Monitoramento por câmeras, isenção de vistoria para veículos com até cinco anos de fabricação e demissões por desvio de conduta são algumas das alterações que já estão em vigor nas unidades do Rio de Janeiro. As novidades já começam a partir de dezembro desse ano.

O intuito é passar credibilidade para os usuários, que estão ‘acostumados’ com os famosos ‘jeitinhos’ para serem aprovados nas vistorias veiculares. A central de monitoramento por imagens passará a funcionar a partir de dezembro de 2017. Já a extensão de três para cinco anos da isenção da vistoria para veículos novos passará a valer a partir de janeiro de 2018. “O Detran precisa criar uma nova ferramenta que possa dar a certeza ao cidadão que um órgão público, independente de entregar serviços, entrega com transparência e correção”, explicou Farah. Todo o projeto começou com o Detran Conduta, que foi lançado no último dia 21, com a junção da corregedoria e ouvidoria do órgão.

De acordo com o presidente, o objetivo da implantação das câmeras é acompanhar sistematicamente todos os pontos de atendimento do Detran. “O monitoramento, que estará funcionando em dezembro, é para que o Detran possa verdadeiramente coibir qualquer tipo de conduta que não se encaixe em um perfil de um órgão público que deve ser cristalino, transparente e ético com a sociedade”, comentou. Sobre transparência, o executivo ainda explicou que em sete meses já puniu e exonerou mais de 90 funcionários por desvio de conduta. A última novidade, agendada para janeiro de 2018, é a extensão do prazo de três para cinco anos de isenção de vistoria dos veículos novos. “Esses veículos não necessitam de vistoria por estarem conservados. É um ganho importante, agiliza a vida das pessoas. É importante redesenhar as funções, sempre dentro da legalidade”, finalizou.

Apesar da ausência da vistoria, os proprietários desses veículos terão que pagar as taxas e pegar os documentos de permissão todos os anos. O chaveiro Luís Antônio, de 56 anos, gostou da novidade. “Eu acho que a vistoria deveria ser mais branda. Acaba que às vezes o carro ou moto fica em exigência por um problema muito pequeno”, comentou.

O músico William Gomes, de 38 anos, também gostou da notícia. “Mesmo meu carro não entrando nessa conta, já que ele é 2010, eu gostei dessa mudança. Vai desafogar os postos e orientar melhor quem trabalha com isso, já que vão fiscalizar realmente o que é preciso”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 1 =