Mudança no sistema de saúde de Búzios cria divergências

Wellington Serrano

As mudanças no atendimento de emergência e urgência em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do Rio, continuam a causar problemas para moradores e turistas que visitam a cidade. O pronto atendimento, segundo a Prefeitura, passa a ser feito somente no Posto de Urgência (PU) da Policlínica de Manguinhos.

A prefeitura já havia anunciado que o Hospital Municipal Doutor Rodolpho Perissé não atenderia mais casos de urgência e designou o atendimento para duas unidades, a de Manguinhos e no PU da Rasa. Agora alega que as mudanças são para desafogar o atendimento e diz que somente a Policlínica receberá esses casos.

O Ministério Público interviu na situação, já que as alterações afetaram quem não consegue comprovar residência na cidade, pois para atendimento o paciente deve estar cadastrado no Sistema de Saúde municipal, o que impede que turistas sejam atendidos.

O arquiteto Mario Bittencourt, que veio de Santos passar uma semana de lazer em Búzios, foi um dos turistas que não conseguiu atendimento nesta semana. “Nos mandaram de um posto para outro e nada. Percebi que a população está vindo e indo embora porque ela não está sendo atendida. Não quero mais atendimento. Vou embora e não volto à cidade neste período de carnaval”, conta.

Moradores acreditam que a medida foi tomada porque o atendimento de pessoas que não são moradoras estavam superlotando as unidades de saúde. A expectativa da Prefeitura é de 160 a 200 mil pessoas no período dos dias de folia.

“Tem que mostrar porque eles estão fazendo esse esquema aí porque estava vindo muita gente de Cabo frio para cá. Então os moradores daqui ficavam sem direito aos remédios e sem direito também ao atendimento, a médico”, relatou o morador da cidade Fabio Rezende.

A Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva já fez a Prefeitura assinar um ofício que recomenda que o município atenda a todos os pacientes, sem distinção. O documento diz que a medida da Prefeitura é burocrática e fere o atendimento universal à saúde, previsto na Constituição Federal. Moradores também reclamam da mudança no sistema de saúde, principalmente da falta de remédios e demora no atendimento, tanto na unidade de Manguinhos quanto na Rasa.

A Prefeitura de Búzios disse que os pequenos casos dos moradores estão sendo preferenciais no momento a não ser em caso de atendimentos com maior gravidade dos turistas. “As mudanças são para desafogar o atendimento para a população”, disse por meio de nota.

NOVA AUDIÊNCIA PÚBLICA
De total responsabilidade do Executivo, uma audiência pública para fins das Contas do Fundo Municipal de Saúde do 3º quadrimestre de 2016 acontece nesta quinta-feira (23), às 16h, na Câmara de Vereadores e vai discutir o atendimento na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =