MP e Seseg deflagram operação e prendem oficiais da PMERJ

Na manhã da última segunda-feira (19), em mais uma fase da Operação Carcinoma, que apura o desvio milionário de de recursos do Fundo de Saúde da Polícia Militar do Rio (Fuspom), a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança (SSINTE/Seseg), o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público do RJ (MPRJ) e a Corregedoria da PMERJ deflagraram ontem, a Operação Carcinoma III.

O objetivo foi cumprir Mandados de Prisão Preventiva contra os coronéis da Polícia Militar, Ricardo Pacheco, ex-Estado Maior Administrativo, e Kleber Martins, ex-diretor da Diretoria Geral de Administração Financeira (DGAF) da PMERJ, além do tenente-coronel Marcelo de Almeida Carneiro, ex-subdiretor administrativo do Hospital da PM de Niterói (HPMNit) e outros oficiais da corporação.

Também foram cumpridos Mandados de Busca e Apreensão, sendo que sete oficiais estão sendo acusados de participarem do esquema de desvio de verba, e responderão pelos crimes de corrupção passiva, peculato e falsidade ideológica. Segundo a denúncia, o bando foi responsável pela compra de 18 mil kits de substratos fluorescentes para Hopsital da PM de Niterói, no bairro de Santa Rosa (HPMNit), no valor de quase R$ 2 milhões, através da contratação irregular de uma empresa, em setembro de 2014.

Apesar da formalização do processo licitatório, da emissão de nota fiscal e da declaração de recebimento do produto, a empresa não entregou o pedido. Ainda assim, recebeu o valor contratado apenas um dia depois da PMERJ atestar o recebimento da carga por meio de declaração falsa.Todo o processo previa o direcionamento para a empresa que viria a vencer a licitação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =