MP cumpre mandados em Niterói contra organização de miliciano

A Operação Gárgula foi deflagrada, na manhã de segunda-feira (22), pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), com objetivo de cumprir três mandados de prisão e 27 de busca e apreensão contra a organização criminosa responsável pela movimentação financeira e lavagem de dinheiro do miliciano Adriano da Nóbrega, expedidos na última sexta-feira (18). Nove pessoas, entre elas um sargento e um soldado da Polícia Militar, foram denunciadas junto à I Vara Criminal Especializada da Capital por crimes de associação criminosa, agiotagem e lavagem de dinheiro.

A cidade de Niterói está entre os lugares onde mandados foram cumpridos. As equipes do MPRJ atuaram em diversos endereços na capital, além de Guapimirim. Também foi autorizado pela Justiça o sequestro do Haras Fazenda Modelo, automóveis e bloqueio de bens de R$ 8,4 milhões, correspondentes ao valor mínimo constatado em movimentações pelos acusados.

Ainda de acordo com o MPRJ, sob comando de Adriano, os denunciados praticaram crimes de agiotagem e lavagem de dinheiro em favor do miliciano. As manobras visavam à ocultação e dissimulação da origem do dinheiro ilegal obtido através dos crimes perpetrados por Adriano.

Entre os apontados pelo MPRJ como integrantes da rede de apoio de Adriano, está o sargento da PM Luiz Carlos Felipe Martins (vulgo Orelha), que foi morto no último sábado (20), em Realengo, em circunstâncias ainda a serem esclarecidas. Outras pessoas também foram denunciadas e tiveram medidas cautelares de prisão deferidas pela Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + 5 =