MP arquiva investigações sobre cemitérios de São Gonçalo por falta de provas

Anderson Carvalho –

O Ministério Público do Estado, através da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de São Gonçalo, decidiu arquivar, por falta de provas, as investigações sobre suposto desvio de verbas públicas oriundas da arrecadação dos cemitérios municipais, que foi denunciado no início de dezembro pelos vereadores que fazem oposição ao prefeito José Luiz Nanci, além do péssimo estado de conservação dos cemitérios.
O MP explicou que as investigações não vislumbraram qualquer apropriação indevida das verbas funerárias, que foram aplicadas no próprio Município, revertidas em reformas e na aquisição de bens, tudo devidamente comprovado por documentos e notas.

Segundo a prefeitura, a decisão corrobora o que já vinha sendo divulgado pelo governo durante todo o inquérito. O Executivo Municipal ressalta ter atuado com total transparência e já comprovou, por meio de documentos, ter arrecadado R$ 1.533.257,06 – somente nesta gestão – através do setor de Administração Funerária.

Agora, de acordo com a Prefeitura, um novo inquérito será aberto, dessa vez, contra a denunciante Paola Ribeiro – que atuou como coordenadora geral dos cemitérios até o primeiro semestre de 2017 – para investigar as transações financeiras realizadas por ela enquanto exercia seu antigo cargo. Paola era responsável pelos repasses dos valores recebidos para a gestão do município, segundo informou o próprio MP.

O Governo Nanci reitera estar empenhado em atender às demandas do MP e continuará oferecendo todo apoio necessário nas investigações. Caso haja punição a algum funcionário municipal, as medidas cabíveis serão adotadas de acordo com cada caso.

No mês passado, os vereadores Sandro Almeida (PHS), Natan (PSB), Vinícius, Bispo Salvador Soares (ambos do PRB), Jalmir Júnior (PRTB), Gilson do Cefen (PR), Maciel (PTN), Professor Paulo (PCdoB) e Lucas Muniz (PTN) apresentaram pedido de instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias de que a primeira dama, Eliane Nanci, estaria recebendo propina da arrecadação dos cemitérios, feitas por Paola. Porém, o pedido de CPI foi rejeitado pela maioria da Câmara Municipal, também no mês passado. E nada foi provado contra a primeira dama.

Procurados, Sandro Almeida e Jamil Júnior, autores do pedido de CPI, não foram localizados.

Novas vagas – Segundo a prefeitura, em virtude do horário, cada cemitério comporta 11 sepultamentos por dia. O atual governo criou, desde 2017, 72 novas vagas no São Miguel, 21 novas no Pacheco, 5 novas no São Gonçalo e 5 novas em Ipiíba, somando 103 novas vagas. A prefeitura também visa promover o aumento de vagas e investir mais na infraestrutura dos cemitérios.

One thought on “MP arquiva investigações sobre cemitérios de São Gonçalo por falta de provas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 4 =