Motorista dos Correios é mantido refém em assalto na BR-101

Criminosos parecem não se importar com o reforço de policiais na BR-101. Depois de um arrastão na quarta-feira (19), na madrugada desta quinta (20) bandidos assaltaram um caminhão dos Correios na rodovia, na altura de Manilha, em Itaboraí. O motorista ficou em posse dos assaltantes quase uma hora até ser liberado. Apesar de o caminhão ter sido levado, horas depois agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) conseguiram localizar o veículo em Magé, com a carga intacta.

De acordo com informações das autoridades, o grupo de criminosos abordou o caminhão por volta das 3 horas na rodovia. Eles eram em quatro e estavam em um carro e uma moto. O condutor, mantido como refém, foi levado para o automóvel dos assaltantes, enquanto um dos bandidos conduzia o caminhão. O motorista foi abandonado ainda na BR-101, na altura do bairro de Itambi, ainda em Itaboraí.

Apesar de a vítima ter contado que os criminosos tinham um dispositivo, possivelmente para bloquear o sinal GPS, os policiais não tiveram dificuldade para localizar o caminhão. O veículo dos Correios foi encontrado no início da manhã na BR-116, em Magé. Os assaltantes já haviam fugido, porém toda a carga continuava dentro do caminhão.

O veículo recuperado foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal em Niterói, que segue investigando o caso. O caminhão era usado para realizar entregas dos Correios, que não informou a carga.

Mesmo com o reforço e as ações intensificadas na BR-101, criminosos parecem não estar se assustando com os policiais. Na quarta-feira, assaltantes roubaram R$ 90 mil de um carro-forte que abastecia um supermercado às margens da rodovia, em São Gonçalo. No mesmo dia – horas antes – os policiais receberam um alerta sobre a ação de bandidos na rodovia, houve pânico entre os motoristas, pois havia informe de mais um arrastão na via.

Transportadoras ameaçam parar no Rio
Na quarta-feira (19), representantes da Federação do Transporte de Cargas do Estado do Rio de Janeiro (Fetranscarga) se reuniram com a cúpula da segurança no Estado – incluindo Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal, e Força Nacional de Segurança – para procurar soluções para o problema. De acordo com a federação, caso os roubos não sejam contidos, as empresas de transporte de carga poderão sim paralisar os serviços em todo Rio de Janeiro. Segundo ainda a Fetranscarga, mais de 900 caminhoneiros foram vítimas de assalto em junho no Estado, 30% a mais do que no mesmo período de 2016.

“A tensão que está existindo aqui no Rio de Janeiro é muito grande. É óbvio que ninguém quer deixar de transportar cargas. Ninguém quer deixar de abastecer o Rio. E, quando eu falo de abastecer, não é só colocar alimentos, roupas, eletroeletrônicos. É abastecer o aeroporto, botar gasolina nos postos. Se houver uma paralisação, chegar a um momento limite, vai parar o Rio de Janeiro como um todo”, afirmou Eduardo Rebuzzi, presidente da Fetranscarga.

De acordo com o representante dos transportadores, no ano passado, só no estado do Rio, os prejuízos com roubos de cargas ficaram em torno de R$ 1 bilhão e podem aumentar cerca de 30% neste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *