Motorista de aplicativo continua desaparecido

Segue o mistério sobre o paradeiro do motorista de aplicativo Alan Porcell, de 33 anos, desaparecido desde a noite do último sábado (24), quando retornava para sua residência, no município de Magé. Segundo familiares, o último contato teria feito quando ele se encontrava num posto de combustíveis em Niterói. O caso foi registrado pela mãe de Alan no Setor de Descobertas de Paradeiros da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), na última terça-feira (27).

Familiares de Alan relataram que percorreram hospitais de Niterói e São Gonçalo, assim como o IML de Tribobó, em busca de informações que pudessem levar ao paradeiro do motorista. Contudo, de acordo com Taísa Lima, esposa de Alan, até o momento nenhuma pista foi encontrada.

Ainda segundo Taísa, a família vem recebendo trotes sugerindo que Alan teria sido sequestrado por traficantes. Na noite de domingo (25), dia seguinte ao desaparecimento, Taísa relata ter recebido uma ligação em que supostos sequestradores afirmavam manter Alan sob custódia.

“Você sabe que nós estamos com ele”, teria dito o autor da ligação.

No entanto, a esposa do motorista informou que nenhum pedido de resgate ou exigência foi feito. Ainda de acordo com Taísa, na manhã de quarta-feira (28) a família foi surpreendida com um áudio que estava circulando entre alguns amigos de Alan, moradores do Pita, São Gonçalo, bairro de origem do motorista. No áudio, amigos que divulgaram o cartaz de anúncio do desaparecimento em suas redes sociais, demonstram espanto ao serem aconselhados por amigos a retirarem o post, mediante uma suposta ordem que teria partido de traficantes da região.

Esse fato levou a família de Alan a considerar a possibilidade do motorista ter desaparecido em São Gonçalo. O motorista, que há cerca de 4 anos reside em Magé com a esposa e os três filhos do casal, costumava visitar os amigos do bairro de São Gonçalo onde que passou a infância. Taísa informou, inclusive, que Alan ainda possui uma casa no bairro e que sua mãe teria ido até lá, após o desaparecimento, para verificar se o motorista teria sido visto na localidade.

Carro roubado

Em janeiro deste ano Alan já havia sido vítima de um roubo, quando o mesmo Cobalt amarelo em que se encontrava na ocasião de seu desaparecimento foi levado por bandidos armados, no bairro do Gradim, São Gonçalo. O carro acabou sendo recuperado pelo próprio Alan, cerca de um mês e meio depois, após ser avisado por um amigo, também motorista de aplicativo, sobre a localização do veículo, na região conhecida como Inseticida. O motorista, amigo de Alan, teria ido ao local para atender um chamado, quando avistou o veículo estacionado numa rua da comunidade. Ao ser acionado pelo colega de profissão, Alan se dirigiu à localidade e resgatou o carro utilizando a chave reserva do veículo.

O Setor de Descobertas de Paradeiros da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG) segue investigando o caso e solicita a quem tiver qualquer informação, entrar em contato através pelo telefone (21) 98112-1597.

Marcelo Feitosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 7 =