Mortes por intervenção de agente do estado disparam

Vítor d’Avila

Casos de morte por intervenção de agente do estado dispararam na cidade de São Gonçalo, no mês de janeiro de 2021. Os registros de casos do tipo chegaram ao maior patamar desde maio de 2020, último mês antes do Supremo Tribunal Federal (STF) restringir operações policiais em comunidades por conta da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), o primeiro mês deste ano teve 28 registros de pessoas que morreram em decorrência de situações do tipo. São 11 ocorrências a mais do que em janeiro de 2020, um aumento de 64,7%. Em relação ao mês anterior, dezembro de 2020, que registrou oito mortes, o aumento é de 250%.

Para efeito de comparação, em maio de 2020, houve 26 casos, contra 13 no mesmo mês, em 2019, o que representou aumento de 100%. A partir de 5 de junho, passaram a valer as restrições impostas pelo STF e, desde então, até o mês de dezembro, os casos reduziram em comparação ao ano anterior. A única exceção foi o mês de novembro, que registrou 19 mortes, contra 17 no mesmo mês, em 2019.

Para o professor Ignácio Cano, especialista em segurança pública e membro do Laboratório de Análise da Violência (LAV) da UERJ, o aumento de casos tem a ver justamente coma violação dessas restrições. No entanto, ele pontua que os dados de apenas um mês representam um período curto para se obter conclusões sólidas.

“No caso do Rio de Janeiro, muito tem a ver com o grau de descumprimento da polícia em relação à determinação do STF. Foi o STF que levou o número pra oito [em dezembro, em São Gonçalo] e é o descumprimento e a discussão sobre que seria uma operação policial que provocou um aumento posterior. Mas de qualquer forma, um mês é um período muito curto para analisar e tecer conclusões sólidas”, explicou o professor.

Circunscrições

A circunscrição da 75ª DP (Rio do Ouro) foi a que teve o maior número de registros, com 10 casos. Na região, estão localizadas comunidades do Complexo da Alma, que têm sido epicentro de uma disputa entre facções criminosas. Em seguida, aparecem, com nove, as áreas da 73ª DP (Neves) e 74ª DP (Alcântara), tendo esta última apresentado redução (foram 13 casos no mesmo mês em 2020). Já a área da 72ª DP (São Gonçalo), cuja região abrange todo o Complexo do Salgueiro, não houve registros de morte por intervenção de agente do estado.

Comparativo com cidades da região

Além do indicador em São Gonçalo ter apresentado o maior crescimento do Estado, também superou municípios vizinhos. Em Itaboraí, houve aumento de dois casos em janeiro de 2021 (foram zero em 2020). Niterói manteve o número de quatro casos nos dois anos; enquanto Maricá não teve registros tanto neste ano, quanto no ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =