Morre o jornalista Ribamar Oliveira

Depois de lutar quase 50 dias contra a Covid-19 morreu nesta terça-feira (1), em Brasília, o jornalista Ribamar Oliveira. Ele era repórter especial e colunista do Valor.

Ribamar que se formou em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB) e passou pelos principais jornais e revistas do país, ganhou vários prêmios ao longo da sua carreira como jornalista. Entre eles o Prêmio Esso de Economia pela reportagem “O escândalo dos precatórios”.

Foi chefe de redação da sucursal de “O Globo” em Brasília, repórter do “Jornal do Brasil” e coordenador de economia, repórter especial e colunista do jornal “O Estado de S. Paulo”.

Trabalhou nas revistas “Veja” e “Isto é” e foi assessor de imprensa do Ministério do Planejamento em 1994 (ano de lançamento do Plano Real) e assessor de imprensa do Banco Central. Atualmente era repórter especial do Valor em Brasília, onde cobria sua especialidade: as contas do setor público.

“Seu exemplo de ética, de profissionalismo, de dedicação ao jornalismo e de amor à família e à vida nos enchem de orgulho e nos guiarão a partir de agora”, disse a família ao anunciar o falecimento, nas redes sociais.

Ribamar, deixa a esposa, Lílian, e os filhos Júlia, Valentina e Ricardo.

O Ministério da Economia lamentou em nota o falecimento do jornalista Ribamar Oliveira: “O Ministério da Economia recebeu com muita tristeza a notícia da morte do jornalista Ribamar Oliveira. O colunista do jornal Valor Econômico era conhecido pelo alto nível técnico, seriedade na apuração, ética e bom humor. A trajetória premiada e o reconhecimento dos colegas e dos técnicos da equipe econômica refletem a carreira de sucesso dedicada à cobertura econômica. O Ministério lamenta a perda e se solidariza com a família e amigos.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.