Morre o ‘consultor dos advogados’, Vargas Vila, aos 85 anos

“Sem advogado não há justiça, sem justiça não há democracia”, foi o que disse Vargas Vila quando presidiu a OAB Niterói (1989-1991), e se tornou lema da advocacia.

Vargas Vila Cruvello D’Ávila morreu aos 85 anos, na manhã de hoje (12) depois de 12 dias internado no Complexo Hospitalar de Niterói (CHN) para tratar um câncer no fígado. Aqueles que o acompanharam em seu tratamento, disseram que ele defendeu seus clientes até o ultimo suspiro. Mesmo no leito do CTI ditava novas petições para serem juntadas a processos em andamento. O velório será na Capela do Salão Nobre, no Cemitério Parque da Colina, amanhã (13) a partir das 9h.

Sempre lembrado pelos colegas de profissão por ser uma enciclopédia jurídica, era consultado por todos os advogados, jornalistas e até magistrados em casos controvertidos da volumosa legislação brasileira.

“A OAB-Niteroi recebeu a notícia com muita tristeza. Ele era um ícone da advocacia niteroiense e do estado do RJ. Ele que já ocupou cargos na diretoria da seccional do estado, já foi presidente da OAB – Niterói e atualmente ele era conselheiro da nossa gestão. Nesse momento, o mundo jurídico e a advocacia de Niterói estão muito tristes com essa notícia. O Dr Vargas era um advogado conhecido e respeitado por todos, de uma inteligência ímpar”, disse Dr Claudio Viana, presidente da OAB – Niterói.

Seu amigo de longa data Dr Leirton Coelho, trabalhou com ele durante mais de 30 anos. E lembra do amigo com muita emoção e carinho.

“Vargas foi um astro. O maior advogado que Niterói teve em defesa da classe. Foi ele quem criou varias indicações em favor do advogado, a Escola Superior de Advocacia foi criação dele. Eu não vejo outro no Brasil que tenha feito tanto quanto ele. Ele atendia pessoas sem cobrar. Uma pessoa maravilhosa. Ele teve uma vida difícil, perdeu os pais jovens e foi criado por parentes. Mas muito batalhador. Ele para mim é o maior astro da profissão. Ele trabalhava por amor. Em 30 anos eu vi muita prestação de serviço para quem precisava e não tinha condições. Estou muito abalado com essa notícia da morte dele”, diz Dr Leirton Coelho emocionado.

Vargas sempre se preocupou em acionar contra atos ilegais de autoridades municipais, estaduais e federais. Lutava incansavelmente contra aumentos abusivos de tarifa praticados por concessionárias de água, luz, telefone e de pedágios. Questionava prefeituras sobre a legalidade do reajuste do IPTU, ISS e da cobrança de multas aplicadas por guardas de trânsito sem a qualificação necessária. Entrava com ações populares sem cobrar honorários.

Outro colega de profissão que lembra é só elogios ao Vargas, é o Dr Célio Junger. “Sempre foi muito boa minha relação com Vargas Vila. Conheço toda sua história na Advocacia”, disse. “Uma história de vida longa. Vargas Vila foi um competente e estudioso profissional. Era um Advogado que vivia da advocacia 24 horas por dia. Ele foi a pessoa que jamais se teve notícia de interesse em função pública”.

Vargas deixa três filhos do primeiro casamento: Gustavo, Ricardo e Eduardo. Era casado pela segunda vez com Marina Soares Cruvello D’Ávilla. A família ainda não marcou a hora do velório que deverá acontecer no Parque da Colina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =