Morre Michael Lang, co-criador do Festival de Woodstock

Michael Lang, 77 anos, co-criador do maior festival de contracultura dos Estados Unidos – Woodstock, morreu no último sábado, 8, por conta de câncer raro. O produtor estava no hospital Sloan Kettering em Nova York, Estados Unidos.

Michael Pagnotta, representante e amigo de Lang, confirmou a morte no Twitter e prestou homenagem ao produtor. Também divulgou comunicado da família à imprensa, por meio do qual explicou a causa da morte: “Uma forma rara de linfoma não Hodkging,” um tumor no sistema linfático.

“Lamentamos a morte do lendário ícone do Woodstock e amigo de longa-data, Michael Lang, aos 77 anos após doença. Descanse em paz,” Pagnotta escreveu.

Lang deixou os cinco filhos, Harry, Laszlo, LariAnn, Shala e Molly – além da esposa, Tamara – segundo o comunicado emitido.

Michael Lang deixou a Universidade de Nova York em 1967 e mudou-se para Coconut Grove, um bairro de Miami, na Flórida, onde abriu uma loja dedicada à contracultura dos anos 1960, com objetos de decoração, revistas, livros e discos e toda uma parafernália da cultura hippie.

Em maio de 1968, depois de promover alguns concertos na área de Miami, ele criou o Miami Pop Festival, o maior da época, que levou 80 mil pessoas à Hallandale Beach para assistir a nomes como Jimi Hendrix, Steppenwolf e The Mothers of Invention. Foi o embrião de Woodstock, que aconteceu no ano seguinte.

Depois de Woodstock em agosto de 1969, ele foi convidado pelos Rolling Stones para participar do Festival de Altamont, em dezembro do mesmo ano, como colaborador free lancer. O festival, idealizado pelos Stones na Califórnia, como um contraponto na costa oeste à Woodstock, acabou sendo um dos mais desorganizados, sinistros e polêmicos na história do rock, pelos acontecimentos que causaram a morte à facadas de um espectador em frente ao palco. Para muitos, violento, agressivo, Altamont foi o coveiro do movimento hippie e a sua suposta mensagem de paz e amor.

Ele também trabalhouatuou como produtor musical, à frente da Just Sunshine Records, criada por ele, que produziu e distribuiu discos de mais de quarenta artistas como Billy Joel, Joe Cocker e a cantora de soul Betty Davis.

Estava a frente da Michael Lang Organization empresariando artistas e produzindo filmes. Em 2009 publicou o livro sobre o festival que o tornou mundialmente conhecido, “A Estrada para Woodstock”, que saiu no Brasil em 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.