Morre de Covid-19 ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni

Desde dezembro internado na UTI do Hospital CopaStar, morreu em decorrência de complicações da Covid-19 neste domingo (13), o economista e ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni.

Nos últimos anos Langoni passou a atuar como consultor do ministro da economia, Paulo Guedes, nas áreas de gás e de abertura comercial. Antes de contrair a doença, tinha o hábito de passar as tardes de sexta-feira no gabinete de Guedes no prédio histórico do Ministério da Fazenda, no Centro do Rio.

Em janeiro de 1980, aos 35 anos, Langoni assumiu a presidência do Banco Central do Brasil, no governo do presidente João Figueiredo, o último da ditadura militar. Ele foi o mais novo a presidir a instituição financeira de um país que tinha inflação de mais de 100% ao ano.

Nascido em Friburgo, era um carioca por escolha. Trabalhava na Praia de Botafogo, de frente para o Pão de Açúcar, num escritório próximo ao prédio da Fundação. Tinha mesa cativa no restaurante D’Amici, de comida italiana, no Leme.

Langoni deixa a mulher, Cristiana Dutra, os filhos Patricia, Eduardo e Bernardo, quatro netos, e os dois enteados Pedro e Juliana.

Em noga, o hospital CopaStar lamentou a morte de Langoni: “O Hospital CopaStar lamenta a morte do paciente Carlos Langoni na manhã deste domingo e se solidariza com a família e amigos por essa irreparável perda”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 16 =