Moradores temem pela segurança no Mergulhão

Geovanne Mendes –

Uma notícia circulou que pelas redes sociais durante o feriado do Dia do Trabalhador deixou muita gente curiosa e ao mesmo tempo preocupada em Niterói. Segundo informações, o mergulhão Ângela Fernandes, no Centro, estaria apresentando sinais de rachaduras e uma possível tragédia era anunciada pelas redes sociais. Nas ruas muita gente, que viu o vídeo, fez questão de ir pessoalmente verificar a situação da passagem subterrânea. De acordo com a Prefeitura, a viga com rachaduras fora avariada em 2014, quando um caminhão-baú não respeitou o limite de altura e atingiu a estrutura. Em janeiro deste ano, A TRIBUNA já havia noticiado os problemas apresentados na viga.

Nelson de Oliveira de 35 anos, foi uma dessas pessoas que ficou preocupado com o que viu pela internet, já que tem o hábito de passar diariamente pelo local de carro com a família.

“Eu vi essa postagem e vim conferir. Fiquei em pânico, com medo mesmo. Imagina isso aqui engarrafado com um monte de carro parado e algo acontece, uma tragédia”, preocupa-se Nelson.

No vídeo um homem alarma as autoridades para a possibilidade de uma das vigas de entrada do túnel cair em cima de algum veículo. O narrador diz também que a viga, ao contrário das demais, é côncova e, no meio da peça, existe uma outra rachadura, a maior fica na ponta na direção Centro da cidade.

“Eu estou abismada e preocupadíssima com isso aqui, como pode uma viga dessas está ainda rachada, ameaçando a vida das pessoas. Depois que acontecer não adianta dizer que sente muito”, comentou a dona de casa Rosângela Medeiros, de 40 anos.

A Prefeitura de Niterói negou qualquer risco de desabamento, total ou parcial, do mergulhão. Segundo engenheiros da prefeitura as vigas em questão têm por finalidade impedir o tráfego destes veículos pelo local, protegendo a estrutura do mergulhão de eventuais choques. Apesar da rachadura no concreto, a ferragem que sustenta a viga está intacta, o que afasta qualquer risco.

“O acidente com o caminhão-baú aconteceu em 2014. Neste período, o local já passou por três perícias diferentes – da Justiça, do Ministério Público e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea – RJ) – além de manutenções periódicas da Prefeitura de Niterói e não foram constatados riscos à população. Desta forma, os reparos foram incluídos em uma licitação, lançada pela Prefeitura em 4 de abril deste ano, para contratação de empresa especializada para tratamento, pintura e recuperação do mergulhão. O pregão foi realizado no dia 18 de abril, os resultados serão publicados no Diário Oficial nos próximos dias e as obras terão início na sequência”, finalizou a nota.

O mergulhão, que possui 300 metros de extensão, foi entregue no dia 22 de novembro de 2013 e custou cerca de R$ 20 milhões aos cofres públicos.

Estimativas do município apontam que a obra aumentou em 30% a fluidez do tráfego entre o Centro e a Zona Sul da cidade. As obras de construção do mergulhão também enfrentaram problemas.

Procurado, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ) não respondeu as demandas sobre o assunto até o o momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *