Moradores denunciam prática de pegas nas ruas de São Gonçalo

Augusto Aguiar –

Uma prática criminosa, antiga no Estado, os rachas ou pegas, vêm sendo denunciados para a polícia e colocando em risco os pedestres e moradores de São Gonçalo, especificamente do bairro Sacramento. As corridas e exibições de manobras perigosas e ilegais estariam ocorrendo aos domingos na Estrada Monte Formoso. E o pior: praticadas e assistidas por criminosos fortemente armados, de acordo com as denúncias. Nas redes sociais, moradores pedem providências para as polícias Civil e Militar, acrescentando que traficantes também são vistos nesses locais.
“Socorro, por favor, não posso ser identificada. Moradores da Estrada Monte Formoso, em São Gonçalo, no bairro do Sacramento, estão desesperados com os ‘pegas’ de carros e motos nos domingos à tarde. Criminosos ostentando armas”.

Em 18 de abril desse ano passou a vigorar a Lei 13.546/2017, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro para crimes cometidos na direção de veículo automotor. A Lei endureceu as penas para quem dirigir sob efeito de álcool ou outras substâncias. Anteriormente, os motoristas que se envolvessem em acidente de trânsito com resultado morte estavam sujeitos à detenção de dois a quatro anos e suspensão do direito de dirigir. A nova Lei alterou o atual artigo 302, acrescentando o parágrafo 3º, que diz que os motoristas que conduzirem veículos embriagados ou sob o efeito de qualquer substâncias psicoativas, tais como cocaína, LSD ou qualquer medicamento, ou produto que altere a capacidade psicomotora, e se envolver em acidente de trânsito com resultado morte, a pena será de cinco a oito anos de reclusão.

Outra inovação normativa se refere à prática de crime de racha, previsto no artigo 308. Foi adicionado o seguinte trecho: “ou ainda de exibição ou demonstração de perícia em manobra de veículo automotor”. Logo, não será apenas corrida, disputa ou competição automobilística não autorizada que configurará o crime de “racha”, mas qualquer exibição ou demonstração de manobras que gere situação de risco. A pena nesse caso permanece sendo a prisão de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir.
Na manhã de sexta-feira, o 7º BPM esclareceu que o comandante do batalhão, tenente-coronel Henrique, determinou que sejam feitas operações neste final de semana na Estrada Monte Formoso. A medida tem o objetivo de coibir a prática ilegal de pegas na localidade, “garantindo tranquilidade e segurança aos moradores e usuários das vias”, diz parte da nota. A Corporação também disponibilizou os telefones 190, 2701-1535, e 2701-2359 para denúncias.

Em dezembro do ano passado, um policial lotado na Região Metropolitana, morreu em um grave acidente de trânsito na Linha Amarela, na altura da Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio. No incidente, um outro jovem também não resistiu e mais dois ficaram feridos. De acordo com militares acionados para o local, o policial estava acompanhado de um rapaz e estavam em alta velocidade quando bateram em outro carro que estava no acostamento, ocupado por dois irmãos. Segundo a PM, o Gol onde o policial estava era adaptado para corridas, equipado com proteção tubular interna e óxido nitroso que, de acordo com especialistas, aumentaria mais a potência do motor. Além disso reconheceu que o carro estaria envolvido num racha. A ocorrência foi registrada na Delegacia da Taquara (32ª DP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − três =