Moradores de São Francisco e Charitas cobram mais segurança

Moradores e comerciantes de São Francisco e Charitas vão dar início no próximo fim de semana de várias ações para reivindicar a melhoria na segurança pública dos dois bairros. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (11) após a terceira reunião com representantes do 12º BPM (Niterói), que alegaram, nos três encontros, falta de recursos materiais e efetivo para reforçar o policiamento nos dois bairros, que contam apenas com um carro, cuja base é na 4ª Companhia do 12º BPM, no Badu, para patrulhar e atender as ocorrências em São Francisco e Charitas.

No encontro realizado na Administração Regional de São Francisco e Charitas, os moradores se reuniram com o capitão Diego Ferreira, novo comandante da 4ª Cia da PM. Estavam presentes representantes do Centro Comunitário de São Francisco (CCSF) e da União dos Síndicos de Charitas (USC). Eles reclamaram da falta de policiamento e do sumiço das duas motos doadas à PM pelo Polo Gastronômico. Além disso, das oito bicicletas doadas à PM, apenas duas estão sendo usadas por falta de efetivo.

“Os dois bairros estão no meio de comunidades com altos índice de violência, por isso ficam vulneráveis. O modelo de policiamento comunitário começou em 1981 por São Francisco. Nós queremos que a 4ª Cia da PM, transferida para o Badu, volte para a nossa região, que sofreu um impacto muito grande com o túnel Charitas-Cafubá”, disse Marinice Machado, do CCSF.

A estratégia é chamar a atenção. Por isso, os moradores vão colocar faixas, nas saídas dos dois túneis, pedindo mais segurança. A ideia é dar início a um abaixo-assinado nos condomínios, igrejas, escolas e supermercados. Embora a segurança pública seja responsabilidade do governo estadual, os moradores prometem apelar ao prefeito Rodrigo Neves que, em apoio ao estado, leve para a região o programa Niterói Presente, que já existe em Icaraí e no Fonseca. Uma grande manifestação pública para pedir mais segurança está sendo planejada pelo grupo.

“A orla de São Francisco e de Charitas recebe, principalmente nos fins de semana, um grande fluxo de caminhantes, corredores, banhistas e frequentadores dos quiosques e dos restaurantes. Mesmo assim, o policiamento ostensivo é zero”, lamentou Leonardo Fonte, da USC.

O capitão Diego Ferreira disse que está pedindo mais recursos ao comando do 12º BPM para ampliar o número de patrulhas nos dois bairros, destinando uma apenas para o policiamento ostensivo (sem atender ocorrências que demandem mais tempo na delegacia local). Ele estuda também a possibilidade de reativar o ponto-base da PM na cabine da Avenida Rui Barbosa.

Presente à reunião, o vereador Leandro Portugal prometeu levar o pedido da comunidade, sobre o Niterói Presente, ao prefeito Rodrigo Neves no próximo sábado, quando estarão juntos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *