Moradores de Itacoatiara sofrem com a ação de bandidos

Um bairro que tinha tudo para ser o lugar mais calmo e sossegado da cidade sofre com a expansão diária da violência, que assombra moradores, e autoridades prometem redobrar as atenções no combate ao delito preferido dos bandidos, o roubo. O alto poder aquisitivo dos moradores de Itacoatiara, na Região Oceânica, tem levado os criminosos a perder o medo da vigilância e atacar a população local. Nem mesmo todo aparato tecnológico de monitoramento – 64 câmeras atualmente e mais 20 que entrarão em funcionamento em breve –, uma associação de moradores atuante – cujos habitantes pagam mensalidades em torno de R$ 200 para segurança e manutenção – e construção de cancela, bloqueando a entrada e saída do bairro, têm impedido a ação desenfreada de assaltantes.

“Eu já não me sinto segura em caminhar por aqui. Moro em Itacoatiara há 25 anos, vi a evolução do bairro e agora essa escalada na violência atormenta a todos nós moradores e frequentadores do bairro. Como pode termos uma das praias mais lindas do país, segundo a eleição de um site de viagens, e ao mesmo tempo ficarmos reféns desta bandidagem, mesmo tendo câmeras de segurança para todos os lados”, afirmou uma moradora que não quis se identificar.

Esse e outro relatos mostram uma única vertente, o medo. Na quarta-feira passada um homem foi assaltado por volta das 20 horas na Rua dos Ipês, a rua fica a cerca de 500 metros da associação de moradores do bairro, a Soami, e do posto da Polícia Militar que fica no local. E no domingo retrasado um homem teve o seu carro furtado em frente a sua casa. As imagens dos assaltantes foram enviadas para a 81ª DP, Itaipu, onde as investigações continuam.

“Dois homens em uma moto chegaram e anunciaram o assalto ao senhor que mora aqui na rua, ficamos com pena dele, por se tratar de um idoso de 60 anos, eles estavam em uma moto, enfim, não está nada fácil viver aqui”, contou outro morador que preferiu não se identificar.
Preocupados com esses e outros casos de roubos e tentativas de assalto que vêm ocorrendo em Itacoatiara, a Soami vem buscando, junto às autoridades policiais, formas de conter essa onda de violência que assola o bairro.

“Foi realizada no último final de semana uma reunião com o capitão Elethério, comandante da 5ª Cia da PM, responsável pela Região Oceânica, e membros do Conselho, para avaliar ideias e necessidades à luz da situação. Ontem mesmo já passaram a circular no bairro policiais de moto em dupla, adicionalmente à equipe do DPO. Já estão sendo feitas operações na entrada e na saída de Itacoatiara. Outras ações serão implementadas nas próximas semanas”, disse a associação em comunicado enviado aos moradores.

Outra pauta do encontro foi a participação da prefeitura para que os eventos a serem realizados no bairro passem por um estudo prévio que avalie os impactos na segurança.

“Na quinta-feira passada, recebemos a visita do novo presidente da Neltur, José Guilherme Azevedo, e da chefe de gabinete da Secretaria de Eventos da Prefeitura, Marcelly Apolinário. Apresentamos uma proposta de protocolo de medidas para que os eventos respeitem as características do bairro e a legislação urbanística e ambiental. O documento será estudado pela Prefeitura, e esperamos em breve o retorno. De qualquer forma, já temos tido uma resposta positiva da Prefeitura quanto à não autorização de atividades de grande porte, e que prejudiquem o sossego ou a circulação. O protocolo formalizará o acordo atual, e garantirá que seja mantido por administrações futuras”, finalizou o comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =