Moradores de Itaboraí ainda relatam guerra entre milicianos e traficantes em bairros da região

Há cerca de dois anos, os moradores de vários bairros de Itaboraí, como Visconde, Porto das Caixas, Areal e outros, estão no meio de uma guerra que não é deles, entre traficantes e grupos milicianos. Mesmo após várias operações já terem sido promovidas na região pelas polícias Civil e Militar, a tensão persiste.

“Não podemos falar nada. É muito arriscado. Aqui na região eles alternam e quase sempre estão se enfrentando. Mesmo com a pandemia, os caras ligados a milícia querem que os comerciantes abram as portas, para eles poderem cobrar e aumentar o faturamento. Quando o tráfico chega, eles se enfrentam. Nós moradores de Visconde, Areal, e Porto das Caixas e da região estamos no meio disso tudo” , afirmou um morador em anonimato. Ele confirmou que atualmente bandidos ainda cobram taxas de comerciantes. “Tanto é recentemente a polícia prendeu quatro deles com dinheiro que havia extorquido donos de estabelecimentos aqui. A briga agora é entre os milicianos e o pessoal da Reta”.

Recentemente agentes prenderam criminosos ligados a grupos de milícia, que insistiam em cometer crimes de extorsão, explorando comerciantes e moradores da região, cobrando taxas de “segurança”, além de monopolizarem a venda de produtos como botijões de gás e garrafões de água. Moradores, que preferem não se identificar, pois correm risco de vida por se arriscarem em denunciar criminosos de ambos os lados desse violenta disputa, afirmam que os grupos milicianos são na verdade uma espécie de “sucursal” de grupos bem maiores, oriundos da Zona Oeste do Rio, que procuram se instalar nessas localidades de Itaboraí, mas continuam encontrando forte resistência de traficantes locais, provenientes sobretudo do bairro da Reta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 4 =