Moradores da Ponta da Areia unem forças em prol da segurança

Augusto Aguiar

“A união faz a força, e a organização impulsiona a vontade de melhorar. Como os moradores se conhecem e tem objetivos comuns (mais segurança), eles estão mostrando através da mobilização que é possível viabilizar esse projeto”, afirmou na sexta-feira Felipe Reis, coordenador da ONG Viver Bem, que implementará até o fim do mês de fevereiro a instalação de 32 câmeras de monitoramento no bairro Ponta da Areia. Além das câmeras, que serão adquiridas com ajuda financeira dos moradores, a comunidade também custeia a manutenção e abastecimento de pelo menos uma viatura do 12º Batalhão (Niterói), que fará a ronda pelo bairro. Os moradores, coordenados pelo Grupo Alerta – do qual fazem parte a própria ONG, a Associação de Moradores do Morro da Penha e Portugal Pequeno (Ammopeppe), PDA em Foco, e Conselho Comunitário de Segurança – não perderam tempo e a viatura da ronda já passou por reparos e foi entregue neste fim de semana para entrar em atividade. De acordo com os mais recentes números do Instituto de Segurança Pública (ISP), relativos ao mês de novembro, a região do Centro, onde está situado no bairro Ponta da Areia, registrou 108 ocorrências de roubos a transeuntes – modalidade de crime em que mais se queixam os moradores do bairro – superando até a mesmo a Zona Norte da cidade (que apresentavam maior incidência), que registrou 89 ocorrências.

Na convocação aos moradores, o presidente da Ammopeppe, Adriano Felício frizou que a obrigação de garantir a segurança do bairro seria do estado, mas ressaltou que as pessoas deveriam fazer a sua parte. “Na última reunião com o 12º BPM ficamos de dar apoio para a Polícia Militar, por causad do problema que eles passam em relação a manutenção de uma das viaturas, que ficará fazendo rondas no bairro. A viatura está na oficina e nos passaram a relação de peças que precisam ser adquiridas. Quem puder ajudar para comprarmos as peças e colocar a viatura funcionando (…) Sabemos que é obrigação do estado a questão da Segurança (…) No entento a gente como cidadão nada nos impede de fazermos a nossa parte. Afinal, se ninguém fizer alguma coisa, os maiores prejudicados seremos nós mesmos. Se cada um ajudar um pouco, não fica pesado pra ninguém”, convocou a associação de moardores.

Imagens e comando de voz ligados ao 12º BPM e Corpo de Bombeiros

“Está sendo um trabalho de mobilização muito bonito por parte dos moradores e da associação. Não havia isso por aqui, mas agora passou a ocorrer incidência de roubos a transeuntes no bairro. Os bandidos atacam mulheres e jovens. As câmeras e a viatura policial usada pelos PMs que farão a ronda no bairros serão muito bem vindas. Essas câmeras não vão atrapalhar ou interferir na vida de ninguém”, afirmou Ricardo Francisco, proprietário da oficina mecânica do bairro. Ele, morador há 27 anos fez questão de frizar que nem ele nem sua equipe não cobraram a mão de obra para fazer os reparos necessários da viatura policial, cujas peças foram adquiridas através de um rateio de moradores da região. “Apresentamos o projeto de instalarmos as câmeras, que serão adquiridas pela união financeira dos moradores. Entramos com know hall e a mão de obra. O projeto final contará com 48 câmeras espalhadas pela região, sendo que 32 (ao custo entre R$ 1,5 mil e R$ 2 mil) estarão funcionando no fim do mês de fevereiro. Vamos integrar o 12º BPM com conexão de voz e imagem”, explicou Felipe Reis.

As câmeras de monitoramento estarão, segundo Felipe Reis, interligadas simultaneamente às salas de operações do 12º BPM e também do Corpo de Bombeiros, contando ainda com telefonia própria, completando assim um “canal direto” para acionamento e integração. “Estamos dando preferência para regiões que ainda não contam com monitoramento de câmeras. Vamos fazer a extenção do projeto para a Zona Norte da cidade. Estamos mudando nossa sede pera São Francisco, outra região para a qual vamos expandir, assim como Camboinhas, e em breve abriremos frente até São Gonçalo. O Viver Bem conta atualmente com 276 câmeras em funcionamento. Nosso segredo é a integração. Posso dizer que é uma corrente do bem, e estamos preocupados coma cidade e por uma maior evolução na área de Segurança Pública. Já interligamos com voz e imagem o DPO do Cafubá, que centraliza a Região Oceânica, e nas próximas semanas concluiremos a integração nos DPOs de Camboinhas e Piratininga. Esperamos que a comunidade ajude ao capitão responsável por essas áreas e na manutenção”, revelou Felipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *