Moradores adultos de Paquetá recebem vacina contra Covid-19

A Ilha de Paquetá vacina, neste domingo (20), toda sua população de 18 anos ou mais. A iniciativa faz parte do projeto “PaqueTá Vacinada”, realizado pela Secretaria Municipal de Saúde com apoio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e tem o objetivo de avaliar os efeitos da imunização em larga escala. Com a cobertura vacinal total da população alvo, a ilha deverá sediar o primeiro evento-teste com público na cidade.

O acompanhamento da população da ilha terá por objetivo avaliar a segurança do imunizante e como a vacinação em massa atua na proteção também de pessoas que não foram vacinadas, como é o caso de crianças e adolescentes. Além de observar se a primeira dose da vacina será capaz de evitar a transmissão dos casos na região ou se isso só acontece efetivamente após a aplicação da segunda dose.

Paquetá tem uma população de 4.180 moradores, dos quais 3.530 são maiores de 18 anos cadastrados na Estratégia Saúde da Família. Até a manhã de 17 de junho, foram aplicadas 3.078 doses da vacina contra a Covid-19 pelo calendário do município para os grupos prioritários, sendo 1.946 primeiras doses (D1) e 1.132 segundas doses (D2). Neste domingo, todo o restante da população elegível será imunizado com a vacina da Oxford/AstraZeneca.

Mas antes da vacinação, cerca de 3 mil moradores, tanto maiores quanto menores de idade, passam por exame de sangue sorológico ou teste rápido na Unidade Integrada de Saúde Manoel Arthur Villaboim e no Paquetá Iate Clube, para análise comparativa de presença de anticorpos com os momentos antes e após a vacinação. Essa etapa de inquérito epidemiológico é importante para o estudo dos resultados e impactos da vacinação em massa. O processo continuará na sexta (18) e sábado (19), além da realização de testes rápidos para covid-19. Nos 12 meses subsequentes, continuará a ser feito o monitoramento dos moradores.

A vacinação acontece em quatro pontos da ilha, para facilitar o acesso dos moradores e evitar aglomerações: UIS Manoel Arthur Villaboim, Parque Darke de Mattos, Paquetá Iate Clube e Casa de Artes Paquetá. Apenas a população residente será vacinada na ação, conforme os cadastros da Estratégia Saúde da Família e os feitos durante a última semana, sendo vetada a participação de turistas que tenham ido passar o domingo na ilha.

Os trabalhos na ilha, durante a coleta e nos pontos de vacinação, são realizados por cerca de 200 pessoas por dia, entre profissionais da Secretaria Municipal de Saúde e voluntários ligados à ONG Core (Esforço de Ajuda Organizado pela Comunidade, na sigla em inglês), uma iniciativa humanitária que atua em diferentes países e, na pandemia, tem ajudado na ampliação do acesso à vacinação. Os investimentos da entidade no Município do Rio para o enfrentamento da covid-19, em apoio ao SUS, estão voltados para a montagem de postos de vacinação e testagem, e contratação de profissionais.

Evento-teste

O evento-teste em Paquetá está sendo planejado e deverá ocorrer em meados de setembro, 14 dias após todos os moradores adultos da ilha terem tomado a segunda dose da vacina contra a covid-19 (oito semanas após a D1) e quando já não houver registro de casos da doença entre a população local. Será em espaço controlado no Parque Darke de Mattos, fechado para um número restrito de participantes, obrigatoriamente todos eles vacinados e acompanhados pelas equipes de saúde e da pesquisa “PaqueTá Vacinada”. Todos eles estarão sendo monitorados, antes e depois do evento, conforme cronograma e metodologia do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × quatro =