Molon recebe apoio de Anitta em “guerra fria” com PT-RJ

O candidato ao Senado Federal, Alessandro Molon recebeu apoios de peso no meio artístico e político na noite de ontem (02) e na manhã desta quarta-feira (03). O deputado federal contou com manifestações de Anitta, de Léo Jaime, entre outros. No meio político, Tarso Genro (PT), que foi ministro no governo do ex-presidente Lula, e é uma liderança petista importante, também falou em favor do socialista fluminense.

Tudo começou com a artista mundialmente conhecida, e que revelou o voto em Lula anteriormente. Dessa vez, logo depois do PT-RJ anunciar ontem (02) que iria retirar o apoio a Marcelo Freixo (PSB) por causa da insistência de Molon em concorrer ao Senado, Anitta fez um aceno ao deputado federal, após ele pedir por meio das redes sociais. Hoje (03) pela manhã, foi a vez do cantor Léo Jaime publicar um vídeo a favor de Molon, sendo republicado por Marcelo Rubens Paiva.

O candidato ganhou coro, também nas redes sócias, em Tarso Genro, importante liderança do PT no Rio Grande do Sul, que sinalizou apoio para o deputado. Alessandro Molon também reafirmou que não pensa em sair da corrida eleitoral para o Senado, e garantiu que não fez nenhum acordo que impedisse o PSB no Rio de lançar candidatos a governador e senador. Além de deputado, ele também é presidente regional da sigla.

“Nossa pré-candidatura já tem o apoio de quatro partidos – PSB, PSOL, Rede e Cidadania. Mais uma vez reafirmo: não fiz e não participei de qualquer acordo para ceder ao PT a vaga para o Senado. Temos o dever de derrotar o bolsonarismo no Rio. Isso é o mais importante e é em torno disso que a unidade do campo democrático deve ser construída. Não podemos repetir os erros do passado. O momento gravíssimo que o Rio de Janeiro enfrenta exige bom senso e responsabilidade”, disse.

Ainda na madrugada, e manhã desta quarta, o blog do Guilherme Amado, do Metropoles, revelou que a Executiva Nacional do PT manterá o apoio para Marcelo Freixo concorrer ao governo do estado fluminense, mesmo com a candidatura de Molon ao Senado. A retirada que ocorreu na legenda estadual ocorreu por causa de um acordo em que a disputa para senador teria candidatura única da chapa, no nome de André Ceciliano (PT), presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A reportagem confirmou que tanto o diretório regional, quanto o nacional vão se reunir ainda hoje para definir a questão.