Mistério sobre mulher desaparecida em Niterói

Até a tarde desta quarta-feira (14) o Setor de Descoberta de Paradeiros, da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG) seguia realizando diligências, com objetivo de localizar a designer de unhas Viviane de Araújo Henrique, de 37 anos, que segundo familiares teria mantido contato com parentes pela última vez, no sábado (10), quando teria afirmado que iria até a comunidade do Sabão, no bairro São Lourenço. A polícia foi informada que Viviane, moradora atualmente de Nilópolis, na Baixada Fluminense, teria ido até a comunidade, como já havia sido feito por várias vezes, pegar o dinheiro da pensão alimentícia de seu filho, sendo que desde então desapareceu.

Entre os locais diligenciados, de acordo com informações, os agentes foram até a comunidade para apurar pistas que levassem à Viviane, mas ela não foi encontrada. Também não ocorreu nenhum informe sobre cadáver de mulher encontrado na cidade. Os agentes também checam informes de que a designer recebia com regularidade o pagamento de pensão com frequência através de algum portador, por ordem de seu ex-marido, que segundo parentes seria Celso Vinícius de Flores Menezes, conhecido como Moedinha, que é apontado pelo polícia como antigo líder do tráfico na comunidade do Sabão, preso há vários anos, no Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste. Ainda segundo informações de pessoas ligadas a família de Viviane, o relacionamento entre ela e Celso teria terminado há cerca de cinco anos. O Portal Desaparecidos, do Disque-Denúncia, divulgou um cartaz com a foto de Viviane. No cartaz o órgão informe que o último contato dela com a família teria sido através de uma ligação, na noite de sábado, por volta das 19 horas, onde Viviane afirmou que estava numa quadra esportiva no interior da comunidade.

A DHNSG apura ainda denúncias dando conta que Viviane recebia ameaças por parte de Celso.

Vale lembrar que há mais de 11 anos Moedinha teria sido alvo de uma investigação da 76ª DP (Centro), onde além do tráfico (onde seria um dos líderes da venda de drogas na comunidade do Sabão), em 2008 teria sido acusado de ter ordenado (de dentro de um presídio) a execução de uma mulher, por suspeitar que estaria sendo traído. O crime ocorreu no dia 19 de agosto daquele ano. Na ocasião, a vítima foi assassinada a tiros por dois homens no interior da comunidade. Em seguida o cadáver foi arrastado para fora da comunidade e incendiado, na Rua Desidério de Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *