Missas de sétimo dia continuam sendo encomendadas

Padres de várias paróquias de Niterói e de São Gonçalo recomendam que nesse período da pandemia do coronavírus, em que as igrejas e capelas estão fechadas, os rituais litúrgicos permanecem acontecendo. Apesar do distanciamento social, as intenções nas missas continuam podendo ser feitas. Quem perdeu entes queridos pode, e deve, continuar dedicando as missas para os falecidos, como a de sétimo dia e de mês, além de reforçarem as orações individuais dentro de casa.

Na missa de Domingo de Pentecostes, 31 de maio, as intenções no início da celebração foram para dezenas de nomes em orações de sétimo dia.

“Temos a missa e terço. O terço é bem interativo nas mensagens. Citamos de dezena em dezena as intenções. Para a missa basta ligar para a igreja e deixar o nome e a intenção. Também aconselho rezar orações padrões que a igreja já ensina, pode ler a sagrada escritura, rezar o terço. Pode assistir a televisão que tem vários canais católicos. A esperança proporcionada é o remédio para dar significado a dor. Esperança do céu. A dor pode ganhar sentido. Mas nada, nem a fé, nos priva do luto, da dor, da falta”, frisou o padre André Luis, da Igreja Matriz São Gonçalo do Amarante, no Centro de São Gonçalo.

Já o pároco Marcelo José, da Paróquia Nossa Senhora das Dores, no Ingá, em Niterói, pontuou que as pessoas estão perdendo seus entes queridos não só por Covid-19, mas também por outras doenças.

“Estamos com as igrejas fechadas, o templo, mas os membros permanecem ativos. Estamos realizando a missa, o terço, as formações com lives. Estamos pegando as intenções de sétimo dia, mês, de anos das almas; pedidos de saúde para as pessoas enfermas, ação de graças de aniversário, casamento. As pessoas estão enviando os pedidos via Whatsapp, Facebook e Instagram. Eu estou atendendo os paroquianos pelos diversos meios de comunicação e eles se sentem muito agradecidos. Tenho feito vídeos e telefonado para as pessoas. A solidariedade é um elemento de resiliência e também um dos princípios da doutrina social da Igreja, para dar um suporte aos que estão em situações vulneráveis”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *