Missa do Colégio Brasil foi marcada por alegria e saudosismo

Raquel Morais –

Nesta quinta-feira (12) dezenas de alunos, professores e até membros da Família Brasil participaram de uma missa em homenagem ao aniversário do Colégio Brasil, fundado em 1902. Os 115 anos da escola foram celebrados na Capela de São Lucas, em Icaraí, com cerimônia presidida pelo monsenhor Elídio Robaina. Emoção, gargalhadas e muitas lembranças marcaram o reencontro do grupo.

Nésio Brasil Alcântara, de 86 anos, neto do fundador do colégio, João Brasil, estava muito feliz com o encontro dos ex-alunos e professores. Como ele mesmo explicou, praticamente nasceu e cresceu dentro da escola, sendo aluno, professor e diretor. “Tenho muito orgulho de ter feito parte dessa história. O Colégio Brasil foi um marco na educação de Niterói. E esse encontro é um momento leve e de muita alegria”, explicou.

A escola encerrou as atividades há 32 anos, mas deixou um marco de orgulho e saudosismo para quem estudou lá. É o caso das amigas da antiga Turma A: Yara Cruz Fontes, de 83 anos, e Magaly Tristão, de 80 anos. “Sempre fomos amigas, fazíamos os trabalhos juntas, brincávamos juntas e passamos uma vida inteira mantendo essa amizade. Foi o melhor tempo da minha vida”, comentou Yara, que ostentou com orgulho o documento de formação do ano de 1953. “É um momento de alegria e saudade dessa época”, simplificou Magaly.

E quem fala que amor de escola não acaba nunca, o casal Almir Luís Antunes, de 74 anos, e Célvia Antunes, de 73, é exemplo disso. Eles se conheceram no Colégio Brasil, começaram a namorar, casaram, tiveram três filhos e continuam com o amor e carinho do tempo de escola. “A escola me deu o amor da minha vida e naquela época aprendemos tudo no colégio, os valores, respeitar as pessoas e ser uma pessoa do bem”, concluiu Almir, que se formou em 1958.

NOVIDADES NO CASO
O membro da Família Brasil, Nésio, contou para a equipe de reportagem de A TRIBUNA que dentro dos próximos dias vai tentar agendar uma reunião com a Prefeitura de Niterói. O encontro será para discutir os rumos da estrutura do Colégio Brasil, que é localizado dentro do condomínio Solar do Barão, no bairro Fonseca. “Esse espaço foi doado mediante a criação de um local para ação cultural de Niterói. Queremos mostrar para as pessoas o que foi o Colégio Brasil, e fazer desse espaço um complexo cultural. Estamos em fase final do ‘tombamento histórico’ e precisamos dessa reunião para sacramentar isso de vez”, explicou. Nésio também se colocou totalmente contra aos pedidos para derrubar as ruínas, possível criação de um estacionamento e qualquer ação que não valorize o espaço.

RELEMBRE O CASO
No dia 8 de junho um incêndio destruiu grande parte do Colégio Brasil. O espaço está interditado pela Defesa Civil, que está investigando o caso. Os moradores do condomínio lutam na justiça para derrubarem o local, já que eles não podem limpar, nem podar o mato, por estar em processo de tombamento histórico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 2 =