Ministro da Justiça promete atenção especial com trecho da BR-101 em São Gonçalo

Foi lançada, na manhã desta sexta-feira (1°), em evento na Praça do Pedágio da Ponte Rio-Niterói, a versão 2021 da Operação Égide, coordenada pela Polícia Rodoviária Federal, em parceria com as policiais Federal, Civil e Militar. Além do Rio de Janeiro, a ação irá acontecer em outros oito estados (SP, MG, GO, MT, MS, PR, SC e RS) pelo menos até 15 de janeiro de 2021, podendo ser prorrogada.

Segundo a PRF, o objetivo é reprimir a entrada de armas, drogas e munições no país, por meio dos estados que fazem fronteira com outros países. Em relação ao Rio, será feito um trabalho para coibir a chegada desses materiais para abastecer as facções criminosas que atuam no estado. O evento contou com a presença do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres.

“A objetivo é estrangular os meios pelos quais o crime utilizados e utiliza pelas rodovias. Fecharemos não só o estado do Rio de Janeiro mas também estados que fornecem coisas ao Rio de Janeiro. A vantagem da operação federal é exatamente essa. Colocar vários estados trabalhando em prol da segurança pública”, explicou o ministro.

Segundo o diretor-geral da PRF, Silvinei Vasques, a ideia é sufocar o narcotráfico por meio dos “corredores” que são utilizados para o abastecimento mento desses materiais, por meio de rodovias de Goiás, São Paulo e Minas Gerais. Outro foco da operação será a repressão a roubos de carga, veículos e coletivos em rodovias da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

“A nossa preocupação maior de crimes urbanos é na Baixada Fluminense e na região entre Niterói e São Gonçalo, em razão dos assaltos. Iniciamos a operação nesta sexta, meia-noite. Nossa ideia é ampliar o enfrentamento a roubos de carga, veículos e coletivos e aumentar a capacidade de enfrentar o tráfico de armas, drogas e contrabando. Essa primeira etapa começa hoje e vai até 15 de janeiro. Até lá, a gente vai se organizar para abrir a segunda etapa já no ano que vem”, pontuou.

Também esteve presente o superintendente da Polícia Rodoviária Federal Rômulo Silva e o secretário de Estado do Gabinete de Segurança Institucional Marcelo Bertolucci, representando o governador Cláudio Castro (PL), além de outras autoridades entre deputados estaduais e federais, bem como coronéis da Polícia Militar. Após o lançamento da operação, as ações de fiscalização foram oficialmente abertas na Praça do Pedágio.

São Gonçalo

Uma das maiores preocupações de motoristas que passam pela Rodovia Niterói-Manilha (BR-101) é o trecho que compreende as comunidades do Complexo do Salgueiro. A região é constante alvo de roubos de carga e veículos. Questionado pela reportagem de A TRIBUNA sobre a situação da localidade, o ministro afirmou que os setores de inteligência da PRF já estão monitorando as ações dos criminosos. A ideia é sufocar a atuação dos bandidos.

“Estamos aqui exatamente trabalhando para isso. Desde o início da nossa gestão no Ministério, o Rio de Janeiro é uma prioridade. Fizemos um investimento gigantesco aqui em equipamentos, estamos formando uma nova turma de policiais rodoviários federais. Nós não recuaremos um segundo em relação ao combate ao crime. Sobre a comunidade, nossa inteligência já está trabalhando em cima disso e nós vamos resolver esse tipo de problema”, disse.

Primeira prisão

Minutos após a inauguração, foi realizada a primeira prisão da Operação Égide no Rio de Janeiro, na própria Praça do Pedágio. Equipes da PRF abordaram uma motocicleta, modelo Honda CG, sem placa. O piloto tentou abandonar a moto e fugir, mas foi abordado. De acordo com os agentes, ele confessou ter roubado o veículo no bairro do Flamengo, Região Sul do Rio de Janeiro.

Números

Veja, a seguir, os principais dados sobre a nova fase da Operação Égide:

– 5.629 agentes (sendo 30% no Rio de Janeiro)

– Duas aeronaves

– 1.200 viaturas

– 41 binômios (animais)

– 1.900 km de estradas patrulhadas

Operação Égide 1

A primeira Operação Égide foi desenvolvida entre os anos de 2017 e 2018 pela PRF com o objetivo principal de combater o roubo de cargas, roubo de veículo e a coletivo de passageiros, além de crimes conexos. As ações ocorreram nas rodovias federais na região metropolitana do Rio de Janeiro e nas divisas com os estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. Em um ano e meio de operação, os policiais conseguiram apreender mais de 5,5 toneladas de maconha, 125 quilos de cocaína, 93 armas e quase 40 mil munições. Os agentes ainda flagraram 155 motoristas dirigindo embriagados e 366 pessoas foram levadas para delegacias da região por cometer algum tipo de crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 5 =