‘Minha Casa Minha Morte’: homem morre após ser torturado em Maricá

Os condomínios “Minha Casa, Minha Vida”, de Inoã e Itaipuaçu, em Maricá, se tornaram pontos de extrema violência. As ocorrências de morte são constantes, tanto nos crimes de execução, como nos casos de criminosos em confronto com a polícia. Na madrugada desta segunda-feira (6), o tribunal do tráfico julgou, condenou e executou homem. A pena de morte foi aplicada após a vítima ser torturada.

A Polícia Militar foi acionada, via 190, para verificar denúncia de que integrantes do tráfico local estariam torturando uma pessoa no local. Uma equipe de Patrulhamento Tático-móvel (Patamo) do 12º BPM (Niterói) foi deslocada ao condomínio. Ao chegar em uma área de mata, os agentes confirmaram o fato.

Segundo os policiais, a vítima, identificada como Luiz Henrique da Silva Cellis, de 34 anos, estava caída no chão, com fraturas expostas por todo o corpo. O Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) foi acionado e socorreu o homem, em estado grave, ao Hospital Municipal Conde Modesto Leal (HMCML), mas Luiz morreu ao dar entrada na unidade de saúde.

A ocorrência foi registrada na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSG), que tentará apurar as circunstâncias e identificar os autores. O corpo da vítima foi conduzido ao Instituto Médico Legal (IML) da região.

Em Itaipuaçu

No último sábado (3), um suspeito acabou morto após confrontar policiais militares que patrulhavam pelo condomínio Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu, também em Maricá. Segundo informações da PM, uma equipe do Grupamento de Ações Táticas (GAT) estava atuando no policiamento da região quando foi atacada a tiros por um homem armado. Houve confronto e o suspeito foi baleado e acabou morrendo.

O condomínio Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu também é uma área com intensa atuação do tráfico de drogas e palco de confrontos, seja entre os próprios criminosos ou dos bandidos com a polícia. No dia 28 de fevereiro desse ano, uma chacina deixou três mortos e um ferido na localidade. O caso está sendo investigado pela DH.

Já no dia 8 de março, um homem, de 26 anos, foi atingido no ombro por uma bala perdida, enquanto estava com a irmã e a namorada, próximo a um trailer de lanche. No mesmo local em 2018, outra chacina envolvendo cinco jovens. Eles foram executados no local. A Delegacia de Homicídios concluiu, em 2019, que um grupo miliciano, que atua na cidade de Maricá, seria responsável pelo crime.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =