Micos aparecem mortos na Ilha da Conceição

Geovanne Mendes –

Na praça que fica em frente ao Clube Luzitano, na Ilha da Conceição, em Niterói, o que se ouvia na tarde fria e chuvosa desta quarta-feira (17) eram gritos de dor e desespero. O dono destes gritos era um mico que viu a sua família ser destruída em questão de minutos e que ainda tentava entender o que estava acontecendo. Sentimento este, de dúvida e apreensão, também era visível nos moradores e frequentadores do local que orgulhavam-se da presença dos nove primatas que se exibiam diariamente para adultos e crianças. Misteriosamente, quatro micos foram encontrados mortos, assustando e criando expectativas para o motivo desta mortandade, além de envenenamento, febre amarela e outras causas são associadas às mortes.

Marcelo Martins, de 51anos, mora no entorno da praça e conta que na manhã desta quarta, assim como de costume, alimentou com frutas os animais e todos estavam bem, inclusive os três filhotes, de aproximadamente 20 dias, que sobreviveram e foram adotados pelos vizinhos.
“Estamos em choque, sempre cuidamos dos micos, eram a atração do nosso bairro e só nos enchia de orgulho e amor. Os pais morreram e outros dois filhos maiores, os filhotes conseguiram sobreviver e cuidaremos deles”, comenta emocionado.

“Temos que achar a verdadeira causa da morte destes animais. Isso nunca aconteceu por aqui. Se foi alguém precisamos encontrar o culpado, agora o nosso medo é que seja alguma forma de doença, como febre amarela, por exemplo”, preocupa-se o aposentado Carlos Alberto, de 63 anos.
Os corpos dos animais foram recolhidos no meio da tarde pelo Centro de Controle de Zoonoses da cidade e, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura de Niterói, passarão por análises em um laboratório de referência para identificar a causa da morte.

De acordo com o Ibama a multa por matar espécime da fauna silvestre varia de R$ 500 a R$5.000 por animal, no último caso, se o animal constar na lista de ameaçados. A pena de detenção varia de 6 meses a 1 ano. O infrator também pode ser autuado por maus-tratos, com multa de R$ 500 a R$ 3.000 e detenção de três meses a um ano.

Quem tiver alguma informação basta ligar para o Linha Verde do Dique-Denúncia através do telefone 2253-1177. Em 2016 foram realizadas 5.339 denúncias sobre ilícitos cometidos contra o Meio Ambiente em todo Estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =