Mesmo com isolamento, população está gastando menos luz

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgou novamente os dados do consumo de energia elétrica no Brasil. O Rio de Janeiro continua liderando o ranking de queda no consumo na Região do Sudeste, mas apesar da diminuição em 15%. Mas em maio a redução foi de 21% e os dados atualizados mostram os efeitos da flexibilização do isolamento social com uma leve retomada das atividades. Em níveis nacionais a retração foi de 4,6% em junho no comparativo com junho de 2019.

Quando se compara a média de consumo de todo o período de isolamento (21/03 a 30/06) com a média dos 20 dias imediatamente anteriores às medidas restritivas (01/03 a 20/03), a redução é de 14,6%, o que corresponde a uma diminuição de 14,1% no Ambiente de Contratação Regulado (ACR) e de 15,7% no Ambiente de Contratação Livre (ACL). Os dados são preliminares e levam em conta o consumo total do mercado cativo, em que o consumidor compra energia diretamente das distribuidoras, e do livre, que permite a escolha do fornecedor e a negociação de condições contratuais.

A roteirista Ana Linhares disse que viu sua conta diminuir nos últimos seis meses, apesar de estar mais tempo em casa. A conta de janeiro veio R$ 1.100 e um junho pagou R$ 626.

“Gasto mais no verão e quando chega outono/inverno o valor cai bastante. Mas isso acontece  todos os anos e não apenas nesse momento. Estou usando mais microondas, geladeira, fogão e energia como um todo porque em casa acaba usando mais”, contou.

Já a jornalista Luana Souza, 34 anos, não sentiu diferença na sua conta durante esse período.

“Estou acostumada a pagar em media R$ 250 por mês e não vi diferença. Eu acredito que seja porque eu e meu marido não paramos de trabalhar durante a pandemia. Apesar da minha filha ficar em casa com minha mãe não notei diferença”, resumiu.

Depois da Região Sudeste vem o Nordeste, que teve diminuição de 11%, e a Região Norte com queda de 9%. Na Região Sul também houve redução expressiva em 10% e o Centro-Oeste com 6%. A pesquisa é em nível nacional e contempla todas as regiões e estados, com exceção de Roraima, que não é interligado ao sistema elétrico nacional. Questionado o motivo dessa não interligação a CCEE não se manifestou sobre o assunto até o fechamento dessa edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 7 =