Mesmo antes de tomar posse novo reitor tenta superar a crise da UFF

Wellington Serrano –

O professor Antônio Cláudio Lucas da Nóbrega nem assumiu oficialmente a reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF) – posse essa que acontecerá no dia 17 de novembro – mas já vai a Brasília nesta quarta-feira (06) pedir ajuda ao Ministério da Educação (MEC). Nóbrega deve ficar no cargo até o fim de 2021, e sucede Sidney Mello, de quem foi vice-reitor nos últimos quatro anos.

O reitor eleito disse que na viagem vai apresentar o trabalho do mapeamento de todas as dificuldades internas da Universidade, da consolidação, do crescimento e da qualificação.

“Como somos uma Universidade Pública Federal vamos apresentar nossos planos aos órgãos de governo e ao nosso mantenedor que é o MEC. Vamos a Brasília e teremos duas frentes com ministros e parlamentares para garantir nossos custeios e mais verba de capital para investimentos em obras e equipamentos”, afirmou.

Nóbrega disse que através de uma ação de gestão já garantiu, em 2018, um total de quase R$ 10 milhões em emendas para a Universidade desde que criou um setor específico para cuidar das verbas direcionadas. “Esse crescimento expressivo é por causa da forma como estamos tratando as emendas. Ou seja, temos um setor na Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan), que assim que elas chegam no início do ano, eles convidam o membro da comunidade que capitou a emenda para executá-la e isso tem atraído a confiança dos parlamentares que pulverizam recursos em muitas ações em todos os campis da UFF”, disse o reitor eleito.

Segundo ele, entre as emendas maiores propostas pela Administração Central aos parlamentares da bancada do Rio de Janeiro está a de R$ 32 milhões para garantir o término do prédio da Faculdade de Medicina. “Essa é uma emenda especial e vai abrir espaço para a ampliação do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap)”, afirmou.

Entre as obras que Antônio Cláudio pretende entregar já com recursos próprios esse ano está a construção dos prédios dos Institutos: Biomédico, Biologia e Geociências. Sobre as obras a serem concluídas, através de emendas estão: a do Instituto de Artes e Comunicação Social (Iacs), os prédios da Faculdade de Química, da Farmácia e de Campos, onde funcionará as duas Unidades funcionais de Sala de Aula (Ufasa).

O deputado federal Hugo Leal (PSD), que esteve ontem no início da tarde reunido com o reitor eleito para discutir as emendas entre 2016 a 2018, disse que os seus investimentos serão para a novo campus da UFF em Volta Redonda e para os cursos de pré-vestibulares sociais. “Precisamos estimular as pessoas que não tiveram condições para terem essa nova oportunidade. Para se ter uma ideia, nos últimos pré-vestibulares sociais, tivemos uma aprovação na faixa de 200 alunos em universidades federais, fora as outras aprovações”, concluiu o deputado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 1 =