Mercado imobiliário ainda busca aquecimento em Niterói

Raquel Morais –

Levantamento do Secovi mostra que o valor da locação de imóveis em Niterói em agosto caiu 3,5% no comparativo com o mesmo mês do ano passado, de R$ 19,33 o metro quadrado para R$ 18,65. O valor da venda, no mesmo período analisado, também registrou queda de 2,7% em média, de R$ 6.810 para R$ 6.626. No entanto, algumas regiões da cidade mostraram uma recuperação imobiliária e estão com projeções para lá de positivas. Caso de Maria Paula, bairro com ‘maior valorização’ imobiliária, passando de R$ 3.958 para R$ 4.159. Piratininga teve alta de 1,7% e Camboinhas de 1,1%, ambos na Região Oceânica.

O diretor-geral da Inova Imobiliária, Bruno Albertassi, ressaltou o interesse do público jovem na região de Maria Paula. “Temos previsão de inauguração para daqui dois anos e a procura está grande. Apesar de Maria Paula ter uma deficiência de serviços, o público jovem gosta da proximidade com a Região Oceânica e a Região de Pendotiba, que está crescendo. Esse tipo de empreendimento é considerado econômico e está com vendas razoáveis”, contou o corretor. Ele explicou que em um ano, 70% dos apartamentos já estão vendidos. “Esse número é muito expressivo quando a gente está em um cenário econômico instável e com índice de desemprego muito alto”, completou.

O corretor de imóveis Jorge Almir também frisou o bom momento nos empreendimentos na região. “Maria Paula tem uma proximidade com São Gonçalo, que barateia as coisas e o custo de vida. As construtoras investem nessa região, principalmente em condomínios que têm ótimas opções de lazer. O custo-benefício vale a pena. Mas mesmo assim as vendas estão calmas e quem tem dinheiro está poupando. Existe uma expectativa de uma reforma fiscal e até mesmo a reforma da Previdência e os compradores estão mais cautelosos”, explicou.

Dos 21 bairros analisados pelo Secovi, 14 tiveram queda nos valores do m² e somente sete tiveram saldo positivo, mas também com aumentos que não ultrapassaram 5,1%. A baixa nos preços aconteceu com maior força na Boa Viagem, com queda de 7,1% (de R$ 8.895 para R$ 8.262), Centro, com baixa de R$ 5,3% (de R$ 5.453 para R$ 5.164) e Gragoatá, com retração de 5,2% (R$ 8.640 para R$ 8.193).

LOCAÇÃO
Piratininga foi o que apresentou maior variação no preço do m² para locação, saltando de R$ 20,84 para R$ 22,55, uma alta de 8,2%. Centro foi o segundo bairro na lista, com variação de 4,4%, de R$ 18,09 para R$ 18,89; e Bairro de Fátima ficou em terceiro lugar, com alta de 3,5%, de R$ 16,39 para R$ 16,96. Na contramão está Santa Rosa, cujos valores para locação caíram de R$ 18,11 para R$ 16,04, queda de 11,5%, seguida de Charitas, com baixa de 11% (de R$ 25,76 para R$ 22,93) e Engenhoca, com queda de 10,6%, variando de R$ 15,55 para R$ 13,90.

Jorge Almir ressaltou que no Centro mais de mil salas comerciais estão vazias e mais de 500 lojas no Centro e em Icaraí aguardam para serem alugadas. O mesmo acontece com a Região Oceânica, que está sofrendo os efeitos do aumento do transporte e a queda de pedestres nas ruas. “O comércio nessa região está concentrado em shopping e o comerciante de rua está sofrendo com movimento. Isso implica na hora do contrato de aluguel de lojas e o preço, que antes era mais alto, agora está abaixo da expectativa do proprietário”, finalizou o corretor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =