Memórias de Antônio Gastão no Museu Janete Costa

O Museu Janete Costa de Arte Popular recebe, nos dias 10 e 11 de junho, sempre às 16h, o coletivo En La Barca Jornadas Teatrais, que vai apresentar sua mais nova produção: Antônio de Gastão – Memória é Trabalho.

A partir da tradição do Teatro Documentário, o solo-narrativo, encabeçado pelo ator e roteirista Bruno Peixoto, com participação especial de Anna Fernanda, pretende discutir cultura popular, identidade, memória, narradores e narrativas, com base em pesquisas sobre a vida e a obra do grande mestre.

O Espetáculo fala da Memória como uma força ativa e transformadora. Parte-se do pressuposto da figura do Artista Popular como alguém que constrói seu fazer artístico em estreita relação com o seu espaço social e o seu meio ambiente, abordando, sobretudo, as dores e alegrias da sua terra.

Antônio de Gastão não foi diferente. O livro que lançou um pouco antes de falecer, e que serve de eixo para este trabalho, ao contrário do que sugere seu título – “Antônio de Gastão: Pescador de Cabo Frio” -, não se trata de uma biografia pessoal, mas da história não oficial de sua terra, colocando como protagonistas dessa história aqueles personagens que não aparecem na historiografia oficial: as camadas populares e seus legítimos representantes.

E ainda vai além ao narrar, nas inúmeras transformações que sua terra sofreu, o desaparecimento contínuo de tradições e manifestações populares que, hoje, encontram-se perdidas. Nesse sentido, na construção do trabalho, foram buscados espaços culturais não convencionais que pudessem realmente falar dos temas fundamentais que se pretendeu debater: Memória, Identidade e Cultura Popular.

O Museu Janete Costa de Arte Popular foi um desses espaços, escolhido especialmente pelos artistas, que acreditam que, nele, a figura do Artista Popular é considerada longe do “folclorismo” raso que os costumam cercar. Há ainda um diálogo específico com a exposição Na Companhia de Jorge, atualmente em exibição no Museu. O espetáculo, que começa com cântico da Folia de Reis e termina com o cântico da Bandeira do Divino, duas manifestações religiosas populares que, assim como o imenso imaginário que cerca o Santo Guerreiro, são, para as camadas populares, não apenas profissões de fé, mas também espaço firme de afirmação de sua identidade cultural.

O grupo En La Barca Jornadas Teatrais, idealizado pelos atores Anna Fernanda e Bruno Peixoto, começou sua trajetória em fevereiro de 2014, iniciando uma pesquisa sobre novas teatralidades, através do estudo do trabalho físico do ator. O cerne dessa pesquisa está na busca de um teatro sensorial, que devolve ao público um lugar de espectador ativo e que propõe uma renovação no diálogo palco-plateia.

Em seu ciclo de atividades, constam os projetos “Pequenos Mistérios”, “Estudo Para Pequenos Mistérios” e “Manifesto da Menina sem Nome”, além do espetáculo “Solos: Substância Feminina”. Estes projetos abriram caminho para a vinda de mais colaboradores artísticos, como a atriz uruguaia Natalia Mikeliunas e a atriz mineira Letícia Araújo. Na trajetória do grupo, estes quatro artistas estão sempre em busca um teatro mais atento às questões do seu tempo.
O Museu Janete Costa de Arte Popular fica na Rua Presidente Domiciano, 178-182 na Boa Viagem. Mais informações pelo telefone (21) 2705-3929.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − doze =