Melhorias devem reduzir em 10% tempo gasto no trânsito em Niterói

Raquel Morais –

Na manhã de ontem o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, apresentou o Plano Municipal de Mobilidade Urbana Sustentável, no Solar do Jambeiro. O documento estará disponível, a partir de domingo, para consulta pública até janeiro do ano que vem, quando será marcada uma Audiência Pública para fechar o documento. Esse relatório prevê o incentivo do uso do transporte público e das bicicletas, mudanças viárias e consequente melhora na mobilidade na cidade, com ações por uma década.

Para elaboração do documento, dividido em três partes, foi feita uma pesquisa e um diagnóstico sobre o olhar do niteroiense para a questão da mobilidade na cidade. Foi mostrado que 1.236.135 de viagens em Niterói são realizadas por dia, sendo 42% de ônibus, 29% a pé, 26% de automóveis e 4% de bicicletas. A carteira de projetos expõe mudanças significativas a médio e longo prazo com as obras e mudanças na cidade, alargamentos, mergulhões, duplicações de faixas e etc. A expectativa é a redução em 10% do tempo de percurso e de seis minutos por viagem. Em 2025 essa redução seria de 15% e em 2030 de 25% no tempo gasto para os trajetos.

O secretário municipal de Urbanismo e Mobilidade, Renato Barandier, apresentou alguns detalhes do Plano, como a construção de um mergulhão no cruzamento da Avenida Jansen de Melo com a Rua Marechal Deodoro, no Centro. Ele terá 300 metros de extensão, duas faixas de rolamento e tem previsão de ficar pronto até dezembro de 2021. “É uma obra que vai mudar o cenário do trânsito na região. O mergulhão será aberto para todos que precisarem passar direito para a Zona Norte através da São Lourenço. Isso vai diminuir muito o congestionamento”, contou.

O acesso a Camboinhas, na Região Oceânica, será remodelado, com a mudança da rotatória. Em Icaraí haverá restrição de vagas em prol da circulação das pessoas, mudança do sentido na Rua Mem de Sá, com construção de uma rotatória em forma de praça. Outras intervenções são o alargamento da Rua Doutor Paulo Alves (Ingá), alargamento da Avenida Marquês do Paraná (Centro), requalificação da Avenida Visconde do Rio Branco (Centro), novas estações de paradas de ônibus na Alameda São Boaventura, implementação de faixas exclusivas na Avenida Feliciano Sodré, mudanças nas calçadas no entorno do Mercado Municipal (Centro), integração aquaviária; além de promover o vale transporte eletrônico com fiscalização eletrônica e fortalecimento institucional.

“Quando a gente escuta o cidadão temos mais chance de acertar e essa é uma política do nosso governo. Temos um grupo político sólido que dá estabilidade para Niterói. E não tínhamos um projeto de médio a longo prazo e tive a oportunidade de liderar esse novo ciclo de programação. A cidade aumentou em quantidade de pessoas e de veículos e precisávamos de um plano para avançarmos para melhorar a mobilidade em Niterói”, disse Barandier.

A secretária de Fazenda de Niterói, Giovanna Victer, chamou atenção da importância desse diálogo com a sociedade civil para melhorar todos os aspectos do município. “Esse projeto prioriza o bem estar das pessoas e respeita o tempo das pessoas. Elaborar um plano como esse é extraordinário. Essa é uma tarefa de conciliar instrumentos como pessoas, articulações e recursos financeiros. É um olhar multidisciplinar que agrega muitos outros setores. Vamos tirar esse plano do papel”, comemorou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − treze =