MEC volta atrás e aulas nas universidades federais não vão retornar

A portaria que determinava o retorno das aulas nas universidades federais a partir de janeiro será revogada pelo Ministério da Educação após repercussão negativa. As instituições foram surpreendidas pela decisão nesta quarta-feira (2).


De acordo com o ministro da pasta, Milton Ribeiro, o ministério não esperava tanta resistência. “Quero abrir uma consulta pública para ouvir o mundo acadêmico. As escolas não estavam preparadas, faltava planejamento. A sociedade está preocupada, quero ser sensível ao sentimento da população”, afirmou ele.

Denise Pires de Carvalho, reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), disse em nota que a instituição “seguirá, com muita seriedade e responsabilidade, protegendo a vida da comunidade universitária e não deixará de cumprir, com autonomia, a sua missão institucional”.

“Governo quer colocar nossas vidas em risco. Não aceitaremos”. A diretoria do Andes considerou a iniciativa da pasta “coerente com a postura negacionista do governo federal”, disse em nota o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes). E ainda defenderam que as aulas presenciais só retornem após a vacinação em massa da população.

A Universidade Federal de Brasília (UnB) emitiu um comunicado em que diz ter recebido com surpresa a publicação da portaria e reitera que não colocará em risco a saúde dos integrantes de sua comunidade. “A prioridade, no momento, é frear o contágio pelo vírus e, assim, salvar vidas. A volta de atividades presenciais, quando assim for possível, será feita mediante a análise das evidências científicas, com muito preparo e responsabilidade”, conclui a nota.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 12 =