Imagem Principal
Imagem
Flordelis pode ir para presídio de segurança máxima
Flordelis pode ir para presídio de segurança máxima
Foto do autor Vítor d'Avila Vítor d'Avila
Por: Vítor d'Avila Data da Publicação: 17 de outubro de 2022FacebookTwitterInstagram

Depois de ter sido flagrada usando um celular na cela onde está presa, a ex-deputada federal Flordelis dos Santos de Souza poderá ser transferida para um presídio de segurança máxima. Atualmente, ela aguarda pelo seu julgamento na Penitenciária Talavera Bruce, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na última sexta-feira (14), a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói, oficiou ao presídio de Bangu 1 para saber se a unidade possui ala feminina, a fim de receber uma possível transferência de Flordelis. Caso não haja, a ex-parlamentar poderá ser colocada em isolamento, no Talavera Bruce, até a data do julgamento.

"Considerando que a ré se encontra acautelada no Presídio Talavera Bruce, oficie-se ao presídio de segurança máxima Bangu 1 solicitando que informe se existe ala feminina naquela unidade", escreveu a juíza.

A magistrada também quer se certificar da atual condição de saúde de Flordelis porque, no prontuário da acusada, existe uma orientação para que ela "não fique sozinha na cela". Carvalho Arce oficiou que a médica da unidade prisional, Patrícia de Souza Lime, explique o que motivou a orientação.

"Oficie-se e ao Presídio Talavera Bruce determinado que a Médica, Dra. Patrícia de Souza Lima, esclareça a razão da orientação médica de que ré Flordelis não fique sozinha na cela", prosseguiu a magistrada.

Flordelis está presa suspeita de homicídio contra o marido

Por fim, a juíza pediu á Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) maiores esclarecimentos sobre a punição aplicada à Flordelis após ter sido flagrada. À reportagem, a Seap havia informado que a presa ficou em isolamento por 30 dias após o fato, ocorrido em maio deste ano.

"Dessa forma, requer-se seja expedido ofício à SEAP requerendo que seja esclarecido quais foram as sanções de 'suspensão ou restrição de direitos' aplicadas à ré", complementou a juíza.

A reportagem tenta contato com a Seap e com os advogados de Flordelis. Assim que emitirem posicionamento, este texto será atualizado.

A denúncia

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce encaminhou, em 29 de setembro, ofício à unidade prisional solicitando a prontuário de Flordelis, com os devidos esclarecimentos se praticou alguma falta disciplinar, e sua transcrição de ficha disciplinar.

“Diante da suposta irregularidade ora noticiada, oficie-se com prazo de 5 dias para resposta, solicitando, ainda, informar, diante das recentes apreensões de celulares ocultos nas paredes de presídios de Bangu, noticiadas pela imprensa, se houve busca e/ou apreensão também naquela unidade prisional”, escreveu.

Na semana passada, a ex-parlamentar admitiu ter usado um celular em sua cela. Em nota divulgada por sua defesa, Flordelis confirma ter usado o aparelho por apenas uma vez. A finalidade do uso seria conversar com o namorado, Allan Soares. Entretanto, a defesa alega que o aparelho estava na cela havia 18 dias, sendo introduzido no espaço e utilizado por outras detentas que dividem o lugar.

Relacionadas