Imagem Principal
Imagem
Após ameaças, unidades da UNIRIO suspendem aulas
Após ameaças, unidades da UNIRIO suspendem aulas
Foto do autor Vítor d'Avila Vítor d'Avila
Por: Vítor d'Avila Data da Publicação: 20 de junho de 2022FacebookTwitterInstagram

Centros da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) suspenderam as aulas presenciais nesta segunda-feira (20), após a reitoria denunciar suposta ameaça à segurança, que teria partido de um aluno da instituição. No domingo (19), a reitoria afirmou já ter levado o caso às forças de segurança.

Uma das unidades a suspender as atividades presenciais foi o Centro de Letras e Artes (CLA), que fica na Avenida Pasteur, Zona Sul do Rio de Janeiro. Outras unidades que ficam na mesma localidade também seguiram a mesma ação. O CLA divulgou nota oficial confirmando a suspensão.

"Devido às supostas ameaças à comunidade universitária da UNIRIO, conforme nota divulgada pela Reitoria, as atividades acadêmicas e administrativas do CLA para o dia 20 de junho de 2022 estão suspensas. A Decania do CLA manterá as informações atualizadas através de sua página oficial", diz o comunicado.

Também foram suspensas as atividades no Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET); Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCH) e no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)/ Instituto de Biociências (Ibio). A Biblioteca Central e o Restaurante Universitário também não abriram as portas.

"A Reitoria da UNIRIO, em entendimento com os Decanos dos centros, suspende as atividades nos campi 436 e 458 nesta segunda-feira, 20 de junho, diante dos recentes fatos relatados em postagens com conteúdo de risco. As medidas decorrentes continuarão sendo informadas na página oficial da Universidade", disse a reitoria, em comunicado.

Caso levado á polícia

A Reitoria da UNIRIO informou que tomou conhecimento no último domingo de postagens e supostas ameaças vindas de aluno da Universidade. A instituição afirmou que, visando à manutenção da segurança da comunidade acadêmica e seus colaboradores, os órgãos oficiais estão sendo devidamente acionados.

"Considerando o caráter complexo e delicado dessa situação e a emergência de ações que visem à manutenção da segurança da comunidade acadêmica e seus colaboradores, os órgãos oficiais estão sendo devidamente acionados", explicou a universidade, em comunicado oficial.

Até o momento, não foi divulgada a identidade do estudante que teria feito as ameaças. Também não há informações sobre prisões relacionadas ao caso.

Em nota, a Polícia Militar afirmou que, até o final da manhã, não teve nenhum registro nesse sentido e que o comando do 2º BPM (Botafogo) segue atento à região e aberto ao contato direto com os gestores da universidade.

Relacionadas