Martírio dos funcionários do Heat continua

Os funcionários do Hospital Estadual Alberto Torres (Heat) e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no Colubandê, em São Gonçalo, continuam com salários atrasados. O conflito está longe de ser solucionado e enquanto a Secretaria de Estado de Saúde (SES) afirma ter repassado para a organização social Instituto Lagos Rio no dia 16 de setembro o valor referente ao mês de agosto, a OS não reconhece esse pagamento e diz estar no aguardo do repasse. Enquanto o jogo de empurra não é solucionado, cerca de mil funcionários entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, trabalhadores administrativos e seguranças continuam sem os pagamentos.

O problema nos pagamentos dos funcionários é antigo e agora foi potencializado com a troca da administração da unidade referência em trauma no município. A Organização Social Instituto de Desenvolvimento Ensino e Assistência à Saúde (Ideas) está à frente do hospital desde o dia 27 de setembro mas a dívida com a gerência antiga ainda não foi solucionada.

“Eu estou sem saber o que fazer. Estou sem pagamento e trabalhar de graça nem relógio faz. Eu já estou sem cartão de crédito e não posso mais pedir dinheiro emprestado para ninguém pois não tenho como me comprometer que vou pagar. Não saber quando vai receber o que é de direito é o mais triste”, frisou um funcionário que não quis se identificar.

A SES continua afirmando que realizou o repasse e que o pagamento de setembro ocorrerá após a análise da prestação de contas deste mês. O pagamento dos salários dos profissionais cabe ao contratante, no caso à OS. O Instituto Lagos Rio permanece afirmando esperar o repasse do Governo do Estado referente ao mês de agosto e daqui duas semanas o de setembro. E a gestora atual, Ideas, se limitou a informar que este assunto está sendo tratado pela SES e a antiga gestora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × quatro =