Maricá ganha memorial em homenagem às vítimas da Covid-19

Raquel Morais

Foi inaugurado na manhã dessa sexta-feira (12) o Memorial da Luta contra a Covid-19 “Enfermeira Denise Gomes”, em frente ao Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em São José do Imbassaí. A obra de arte representa uma homenagem para todos os trabalhadores da área da saúde que estão na linha de frente ao combate da Covid-19, além das vítimas da doença. A solenidade contou com um abraço simbólico em volta do monumento além da presença da família da enfermeira Denise, que morreu aos 42 anos e foi a primeira vítima da área da saúde da cidade, e trabalhava na UPA de Inoã.

A Secretária de Saúde Simone Costa enalteceu os profissionais de saúde que atuam no município. “Todas as profissões se somam e fazem a diferença entre a vida e a morte. O dia de hoje é uma referência para o município que tem ação em todo o Rio de Janeiro. Esse hospital é 100% do Sistema Único de Saúde mas cada um que está internado aqui é particular. Cada um é tratado de forma igualitária e humana”, frisou.

O prefeito Fabiano Horta frisou que o memorial não ficará somente no tempo da Covid-19, e sim como um marco histórico de uma geração. “Será como uma lembrança de um senso de resistência do momento. Lembrança permanente a todos os familiares que tiveram pela Covid-19 ceifadas a vida dos queridos e amados. Esse memorial demarca esse tempo e simboliza para nós a não naturalização da morte. E sim a luta pela vida da resistência humana, da graça humana e do vínculo de fé”, explicou.

De acordo com nota o monumento tem em evidência símbolos como a Árvore da Vida e a Pomba Branca, que destacam um conjunto de representações de vida, memória, fé, sincretismo, paz e esperança. A obra de arte foi feita pelo escultor Fábio Alexandre que também foi parabenizado pelo prefeito de Maricá. “Ele nos presenteou na subjetividade de uma arte em traduzir todos os afetos que nos passam. Esse é um ato de consternação coletiva. De lutamento coletivo, resistência coletiva, esperança coletiva, reencontro coletivo e de reposicionamento coletivo”, frisou Horta.

Denise morreu no dia 25 de abril de 2020 e a família dela recebeu um buque com 42 flores que simbolizaram a idade da enfermeira. A irmã dela, Dayse Gomes, agradeceu a homenagem. “Muito merecida a homenagem. Foram quase 20 anos de sua vida nessa batalha de cuidar e se dedicar para as pessoas. Se cuidem. Para quem fica a dor é imensurável e só quem passa na pele sabe. Se cuidem! Levem a sério. Essa dor não passa”, contou emocionada.

O vice-prefeito Diego Zeidan frisou que o Brasil está em retrocesso e é fundamental reafirmar os valores da ciência e do progresso no enfrentamento da doença. “Essa é uma homenagem para todas as vidas que perdemos e todas as pessoas que nos deixaram. Uma homenagem a todos os profissionais da saúde, aos soldados que estão na linha de frente no combate a esse vírus. Maricá está em uma situação que é um pouco melhor e hoje estamos com condições de atender população de outros municípios, mas temos que ter cuidado. Os bares estão lotados, as pessoas estão aglomerando e precisamos manter o cuidado do isolamento. O vírus ainda está circulando e essa nova cepa é mais transmissível e mais agressiva para o corpo. Ao contrário do que nosso presidente diz e prega temos que tomar cuidado com o vírus porque ele mata”, finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + vinte =