Maricá estreita laços científicos com Cuba

Uma reunião aconteceu essa semana entre o embaixador de Cuba, Rolando Gómez González, o vice-prefeito de Maricá, Diego Zeidan e o diretor-presidente do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação de Maricá (ICTIM), Celso Pansera com o objetivo de discutir com o embaixador uma proposta de parceria com o país para desenvolver projetos em Maricá, principalmente na área da Saúde.

Para o diretor-presidente do ICTIM, Celso Pansera, o município já está autorizado a fechar acordos com Cuba, e que os avanços contemplam uma grande transferência de conhecimento para Maricá.

“Foi uma conversa importante. A cidade já tem uma lei que autoriza a fazer contratos e acordos com Cuba. Nós teremos nos próximos dias reuniões com os executivos das áreas deles com a nossa área para ver se avançamos num acordo mais global, tendo a transferência de conhecimento e tecnologia”, disse Pansera.

De grande relevância para a população maricaense, uma das pautas mais importantes da reunião foi o intercâmbio de tecnologias. A proposta visa implementar no município modelos inovadores para o combate de doenças agressivas, como diabetes e vitiligo.

“Diabetes é uma doença sistêmica com muitas complicações que limitam a vida das pessoas, e que cada vez mais vitimiza precocemente pacientes que descobrem a diabetes na fase mais jovem. Qualquer tecnologia favorável, qualquer ação de ponta que possa melhorar os efeitos adversos e evitar as complicações com sequelas, vão ser sempre muito importantes para a qualidade e melhoria de vida dos pacientes”, comentou a secretária de Saúde, Simone Costa.

O diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), Olavo Noleto, lembrou de importantes iniciativas que deram certo em Cuba, e que podem ser replicadas em Maricá.

“Um dos negócios de Cuba é a medicina, eles têm um grau de excelência a ponto de prestar um atendimento para o seu povo e ainda exportar o serviço médico. Cuba é um país pequeno, humilde, que sofre com embargos econômicos pesados, mas que mesmo assim consegue dar dignidade para o seu povo com boa educação e boa saúde. Essa saúde humanizada que Cuba preconiza, é a saúde que Maricá quer construir todo dia”, afirmou Olavo.

Cuba tem uma relação estreita com Maricá, especialmente no âmbito da Saúde. Os profissionais que atuaram no programa Mais Médicos deixaram na população da cidade uma excelente imagem pelo cuidado e ação humanizada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + 20 =