Maricá está mais próxima de ter sua Instituição de Ensino Superior Pública

A cidade de Maricá está mais próxima de ter a partir do ano que vem sua primeira Instituição de Ensino Superior pública. Um importante passo nesse sentido foi dado no dia 11, com o protocolo encaminhado ao Conselho Estadual de Educação do Rio (CEE-RJ), requerendo o credenciamento da Escola Municipal de Administração (EMAR) como Instituição de Ensino Superior, solicitando autorização  para funcionamento como o primeiro curso.

A diretora geral do EMAR, Maria Inez Pucello, afirmou que a iniciativa representa um passo para a inovação na história da cidade. “Demos um pequeno passo nesta longa caminhada no rumo de uma universidade pública no município, e de forma inovadora, pretendemos qualificar ainda mais os nossos servidores da Educação. Nós vamos fornecer meios para que os doutores e mestres da rede municipal atuem na formação de seus próprios colegas, na pós-graduação, ou na graduação de futuros docentes”.

Depois da efetivação do credenciamento, a IES terá um período para começar seu primeiro curso, que tem previsão de início em meados de julho, de acordo com Evandro Sathler, assessor especial da EMAR. Ele explicou que o primeiro curso será de tecnólogo. Com a duração de dois anos, ou se 1.200 horas, terá o curso de Gestão de Empreendimento Solidário, e a formação já é uma demanda de servidores que lidam diretamente com os projetos. “Nós iniciaremos uma turma com 40 alunos no primeiro semestre, e em seguida uma outra com mais 40”, explicou.

Evandro acrescentou que cidadãos da cidade terão prioridade no acesso à IES. Com 130 doutores e mestres já atuantes na educação do município, a EMAR planeja utilizar a sua própria estrutura com um auditório de 100 lugares, uma sala menor com 30 lugares – e as escolas do município no período da noite, quando não são utilizadas – reduzindo consideravelmente os cursos. Maricá possui 62 escolas municipais.

Junto com o curso de Gestão de Empreendimentos Solidários, a instituição pretende iniciar um grupo de pesquisa para criar o curso de Pedagogia da Terra, que deverá ter a primeira turma iniciada em 2022. Além disso, há também a ideia da criação do mestrado em Educação Ambiental e Território, que apesar de ter uma dinâmica diferente de autorização, está previsto para iniciar no final de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + dezoito =