Maricá anuncia compra de doses da Sputnik V

Em uma postagem pelas redes sociais ontem (11), o prefeito de Maricá, Fabiano Horta (PT), anunciou que a prefeitura vai comprar vacinas contra a Covid-19 para o plano de vacinação da cidade. De acordo com a postagem, trata-se de uma compra imediata de 400 mil doses da Sputnik V, produzidas pelo laboratório Centro Gamaleya.

Em nota, a prefeitura de Maricá informou que já fechou o acordo com a Rússia para a aquisição imediata das doses da vacina desenvolvida no país. Como a vacina será produzida na Rússia e enviada ao Brasil pronta para a utilização, o prazo para a chegada das primeiras doses ainda depende da logística exigida na operação para ser definido.

“Diante da sanção de lei federal permitindo a compra de vacinas por municípios, determinei aos órgãos municipais envolvidos que tomassem as providências necessárias para a compra da Sputnik V em contrato a ser imediatamente celebrado com o Fundo Soberano Russo”, explicou Horta.

A prefeitura de Maricá já vem fazendo contato com fabricantes de imunizantes desde dezembro, quando fez contatos com os fabricantes russos, assim como tentativas de compra da vacina Coronavac, que é fabricada pelo Instituto Butantan, em São Paulo, a partir de um Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) importante da China.

“A intenção de compra não tinha sido materializada até aqui por conta da impossibilidade legal dos municípios fecharem as compras diretamente. Temos a partir de agora todas as condições de avançar mais rápido na imunização da nossa população, com a aquisição da vacina Sputnik. Estamos em um momento da pandemia onde dar celeridade é o principal recurso para vencer essa batalha”, completou o prefeito.

O anúncio foi feito um dia depois presidente Jair Bolsonaro ter sancionado uma lei, de iniciativa do Senado Federal, que facilita a compra de vacinas contra a covid-19. O texto dispensa licitação e estabelece regras mais flexíveis para a autorização de uso e a aquisição de insumos e serviços necessários à imunização contra a doença. A lei foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) de ontem (10).

O texto permite à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitir autorização excepcional e temporária para vacinas contra a covid-19. A aplicação dos imunizantes deverá seguir o Plano Nacional de Vacinação contra a covid-19 do Ministério da Saúde. Além disso, a lei autoriza estados e municípios a comprar e aplicar imunizantes, caso a União não adquira doses suficientes para os grupos prioritários previstos.

Sputnik V – Desenvolvida pelo laboratório Gamaleya, a Sputnik V alcançou eficácia de 91,6% segundo estudo publicado pela revista científica The Lancet na prevenção de casos graves e mortes. Similar à vacina da Astra Zeneca, a Sputnik V é feita a base da inserção de um pedaço do vírus em um chamado vetor viral (um adenovírus inofensivo), que depois é injetado no corpo criando assim anticorpos. O diferencial da vacina russa é que cada dose traz um adenovírus diferente, reduzindo a possibilidade de uma eventual resistência do organismo afetar a resposta imunológica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 14 =