Carro atropela manifestantes durante protestos em Niterói

Augusto Aguiar e Raquel Morais –

Vários pontos de protestos nas imediações nas saídas da Ponte Rio-Niterói, na Zona Portuária do Rio, desencadearam um gigantesco congestionamento, que se estendeu por vários quilômetros na manhã dessa sexta-feira. A greve geral foi convocada por sindicatos contra a reforma da Previdência e os bloqueios de verba na Educação. Mesmo com policiamento reforçado, as principais entradas da ponte chegaram a ser bloqueadas e o engarrafamento passou a se estender ao longo de toda a via até chegar a cidade de Niterói. em compensação, bancos e as agências dos Correios funcionam normalmente, ao contrário do que tinha divulgado os respectivos sindicatos.

Desde as primeiras horas da manhã grupos de grevistas e sindicalistas se reuniram em vias importantes do Rio e Niterói. O tempo de travessia para o Rio, que normalmente é de 13 minutos, levou mais de 1 hora. Passageiros de linhas de ônibus tiveram de ter muita paciência dentro dos coletivos, e muitos optaram pela travessia em direção ao Rio de barca. Como se não bastasse, o congestionamento provocado pelas retenções na Ponte, se espalhou para várias vias de Niterói, em bairros da Zona Sul, como Icaraí, e da Zona Norte. As principais vias de acesso em direção à Ponte Rio-Niterói ficaram completamente congestionadas. A Avenida do Contorno, na altura do Barreto, Alameda São Boaventura, Também na Zona Norte, e Roberto Silveira, em Icaraí, e Rua Dr. Paulo César, ambas na Zona Sul, apresentaram muitas retenções.

Três pessoas atropeladas

O engarrafamento se prolongou em direção à Rodovia Niterói-Manilha (BR-101). Um ato de protesto estava sendo realizado, com carro de som, em frente ao Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), na Avenida Marquês do Paraná, no Centro, com agentes da NitTrans tentando coordenar o fluxo de veículos. Os manifestantes passaram então a se deslocar em direção aos principais acessos à Ponte Rio-Niterói, com forte escolta da Polícia Militar e Guarda Municipal. O grupo chegou a ocupar as pistas da Avenida Marquês do Paraná, mas nas imediações da Rua São João, os grevistas contornaram e seguiram em direção à Avenida Amaral Peixoto, no Centro. A tarde está previsto novo encontro dos manifestantes que seguirão em direção à Candelária, no Centro do Rio.

Um motorista, que estava num carro de cor vermelha, furou o bloqueio dos manifestantes e com isso atropelou duas pessoas, que sofreram escoriações. O condutor fugiu do local sem prestar socorro e as vítimas foram encaminhas pelo Corpo de Bombeiros para serem medicadas no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, e Hospital Icaraí. Uma das vítimas foi identificada como Marialva, do Sindicato dos Docentes da Universidade Federal Fluminense (UFF). Um motociclista também chegou atingir outra manifestante, que sofreu pequenos ferimentos.

“O sindicato é contra a reforma da Previdência e considera hoje um dia nacional de luta contra essa reforma. Mas não houve indicativo de greve pois ainda tem que esperar o desenrolar do processo no Congresso Nacional para se tomar uma posição. Ainda está em transformação e não tem como tomar uma postura tão efetiva de parar uma categoria inteira. Ainda não é o momento. Os usuários do serviço de transporte.publico podem contar com todos os carros e viações de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá”, afirmou Rubens Oliveira, do Sindicato dos Trabalhadores dos Trasportes Rodoviários de Passageiros de Niterói a Arraial do Cabo (Sintronac).

No Rio, nas imediações do Instituto de Traumato-Ortopedia (Into), manifestantes que tentavam bloquear a via, no acesso à avenida Brasil, tiveram de ser dispersados por militares do Batalhão de Choque (BPChoq) com uso de bombas de gás. Próximo à Rodoviária Novo Rio, também na Zona Portuária, outro grupo tentou bloquear a via e o trânsito, no sentido Centro do Rio. Muitos trabalhadores decidiram descer dos ônibus e seguir a pé próximo da Avenida Brasil. O trânsito era desviado para o Viaduto do Gasômetro. Agentes da Polícia Rodoviária Federal e da concessionária Ecoponte estavam no local para orientar os motoristas.

Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense a pista da BR-101 (Norte) chegaram a ficar totalmente interditada em ambos os sentidos, na altura do km 76, devido à manifestação. Cerca de 25 pessoas atearam fogo a objetos na rodovia. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou cerca de 6 quilômetros de congestionamento em cada sentido. As pistas foram liberadas por volta das 07h40m. Manifestantes também bloquearam na entrada da REDUC, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. As pistas da Rodovia Washingtion Luiz foram parcialmente fechadas, na altura do km 114, mas liberadas às 08h10m.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *