Manifestação relembra vítimas da Covid-19 e mira Governo Federal

A Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, amanheceu, nesta sexta-feira (8), tomada por 600 lenços brancos. Cada um deles, representa mil pessoas mortas pela Covid-19, desde o início da pandemia no Brasil. O ato, organizado pela ONG Rio de Paz, além de recordar as vítimas, tem como alvo o Governo Federal.

Os lenços foram escolhidos por serem símbolo do “adeus, do aceno à distância, usado para enxugar as lágrimas”. O ato acontece em frente ao Copacabana Palace, até o meio-dia.

A manifestação também será em repúdio ao modo como o Governo Federal e parte da sociedade vem tratando a pandemia desde o início da crise sanitária.

Os lenços estão pendurados por pregadores pretos em varais, onde também estarão algumas bandeiras do Brasil. Além dos lenços, quatro faixas estão distribuídas pela instalação. Uma com a pergunta: “quem sãos os responsáveis por esta tragédia?”. As outras trarão as palavras incompetência, irresponsabilidade e insensibilidade.

Protesto será levado à CPI

Após a manifestação, os lenços serão entregues ao taxista Marcio Antonio, que perdeu o filho para a Covid em abril do ano passado. Marcio se tornou símbolo desta luta quando recolocou as cruzes na areia de Copacabana, durante uma das manifestações da ONG, retiradas por um homem contrário aos atos.

Os lenços são levados por Marcio Antonio e a ONG Rio de Paz a Brasília, dia 19 de outubro, data de encerramento da CPI da Covid. O material será entregue ao senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + sete =