Sindicatos promovem manifestação pela saúde

Representantes de vários sindicatos, entre eles a União dos Fóruns de Luta de Niterói, São Gonçalo e Maricá, Sindisprev/RJ (Sindicato dos Trabalhadores Federais da Saúde, Trabalho e Previdência), o Sintuff (Sindicato dos Servidores da Universidade Federal Fluminense), Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (SEPE-Niterói) e representantes de partidos políticos promoveram, na manhã de quarta-feira (07), um ato de protesto em frente à sede da prefeitura de Niterói.

O ato marcou o Dia Mundial da Saúde e defendeu o Sistema Único de Saúde (SUS), sendo contra a precarização e a privatização da saúde.

Manifestantes inicialmente se posicionaram em frente ao Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap), de onde partiram em direção à Prefeitura de Niterói.

“O objetivo é marcar o Dia Mundial da Saúde. É um ato em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS). Os últimos governos vem retirando investimentos e diminuindo as verbas da Saúde e da Educação. E agora, em meio à pandemia, se vê o quanto é necessário investir no SUS e na ampliação da vacinação. Esse dia marca o quanto é importante a vacinação para todos. Quando a pandemia começou, se falava que era exagero se chegar a 200 mil mortes, e hoje a realidade no Brasil é muito mais do que isso”, afirmou Bernarda Tailane Gomes, coordenadora geral do Sintuff.

Os sindicatos também reivindicaram o pagamento de renda básica emergencial a quem precisa, e pela decretação de lockdown, como forma de intensificar as medidas de combate à disseminação do coronavírus.

Outras reivindicações foram o arquivamento da reforma administrativa em tramitação no Congresso Nacional e a quebra de patentes de vacinas, como forma de acelerar a imunização contra a Covid-19 no Brasil. Outros atos de protestos marcando a data foram promovidas em várias cidades do país, diante do recorde de mortes registradas pela Covid no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 19 =