Mais três escolas encerram turno noturno em Niterói

Aline Balbino

Mais três importantes escolas estaduais terão o turno da noite encerrados em Niterói: Colégio Estadual Baltazar Bernardino, em Santa Rosa; Colégio Conselheiro Josino, na Riodades; e Instituto de Educação Professor Ismael Coutinho (Iepic), no Ingá. Até agora são duas escolas fechadas definitivamente (Ciep 251 Dona Maria Portugal, no Baldeador e Colégio Estadual Doutor Souza Soares, em Santa Rosa) e quatro com turnos da noite encerrados. Em Maricá, quatro escolas suspenderam o sexto ano. São elas, Colégio Euclýdes Paulo da Silva, Escola Estadual Domício da Gama, Ciep 259 e Colégio Estadual Doutor João de Mattos Sobrinho. De acordo com o Sindicato dos Profissionais da Educação (Sepe), não há informações para quais escolas esses estudantes serão transferidos.

A Secretaria Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia de Niterói anunciou ontem que irá assumir três Cieps estaduais na cidade: o Fagundes Varela, no Engenho do Mato; o 446 Esther Botelho, no Cantagalo; e o Professor Anísio Teixera, no Cubango. A Secretaria informou que está atendendo à solicitação da Secretaria de Estado de Educação para aceitar os alunos transferidos do Ciep Maria Portugal, no Baldeador, para a Escola Municipal Antineia Miranda, no Caramujo.

Hoje haverá uma audiência pública na Assembleia Legislativa, no Centro do Rio. Alunos, professores e responsáveis irão se concentrar em frente às barcas a partir das 8 horas. O secretário de Estado de Educação, Wagner Victer, foi convocado pelos deputados para dar explicações sobre o encerramento das atividades. O encontro contará com a participação de representantes do Sepe, da União dos Professores Públicos (Uppes) e de colégios que já estão com o término das atividades em curso.

“Queremos que o secretário de Educação explique os critérios que estão sendo adotados para o fechamento de unidades, para a municipalização das escolas estaduais e para a extinção de turnos.O Executivo justifica o pacote de austeridade como uma medida imprescindível para preservar áreas prioritárias como saúde, segurança e educação. O fechamento de escolas neste momento é a maior prova da negligência do governo com a área. Negar aos nossos estudantes acesso à Educação é negar o futuro desses jovens”, explica Comte Bittencourt.

Em algumas escolas que sofrerão com o fechamento ou com o fim do turno, professores e alunos estão proibidos de falar sobre o assunto. A Secretaria de Estado de Educação informou que os funcionários não podem se pronunciar sobre o fechamento.

“Eles pediram para a gente não falar nada, mas sabemos que a situação está tensa. Estão acabando com a educação. Um governo que não se preocupa com a escola. Os alunos daqui vão para outra escola, a Raul Vidal no Centro. Essa escola é muito importante. Temos pessoas importantes de Niterói que estudaram aqui”, disse uma funcionária do Colégio Estadual Brigadeiro Castrioto (Cebric), uma das unidades que encerrará o turno da noite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *