Mais focos de dengue em São Gonçalo

Após anúncio de que São Gonçalo será o primeiro município do estado que vai receber o projeto contra o mosquito Aedes Aegypti, da organização Active Citizens, parece que a cidade deu um passo para trás. Um terreno da Rua Doná Feira, em Neves, em frente ao Departamento Estadual de Trânsito do Rio de Janeiro (Detran RJ), virou criadouro do mosquito Aedes Aegypti. Após a chuva da última quinta-feira os pneus que foram jogados no ‘lixão’ ficaram cheios de água parada o que facilita a proliferação do inseto causados da dengue, zika e chikungunya.

A moradora do bairro Maria Aparecida da Silva, 47 anos, disse que no ano de 2016 várias pessoas pegaram dengue na rua em que mora. “Parece batido mas não adianta fazer a minha parte se meu vizinho nçao cuida do quintal dele”, comentou. Segundo último Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) de 2016, realizado pelo Ministério da Saúde, São Gonçalo está com índice 1,5 no ranking, o que deixa o município em estado de alerta. “Fico com medo e a solução mais viável que encontro é usar o repelente, o que também pesa no orçamento”, completou a dona de casa. Além dos pneus o terreno está repleto de entulho, roupas, calçadas, comidas, plásticos e mais uma infinidade de tipos de lixos. A Prefeitura de São Gonçalo informou que vai realizar uma reunião com diversos setores para estudar o caso e solucionar o problema.

Na semana passada A TRIBUNA anunciou que São Gonçalo vai receber o projeto a partir dessa terça-feira, 10, onde nos jardins de Trindade serão plantadas a flor crotalária. Esse tipo de planta atrae a libélula e suas larvas se alimentam da larva do mosquito Aedes Aegypti, segundo Leila Araújo, uma das líderes do Active Citizens e pedagoga do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − dezoito =