Mais dois policiais morrem com suspeita de coronavírus

Até quinta-feira (23) pelo menos mais dois policiais militares do Rio morreram com suspeita de terem contraído o coronavírus. No início da semana, a PM havia confirmado a morte do sargento Diógenes Moreno, de 43 anos, lotado no Batalhão de Bangu (14º BPM), na Zona Oeste, que estava na corporação há 21 anos. Ele faleceu em decorrência de problemas respiratórios, no Hospital Central da Polícia Militar (HCPM). Ele, que deixou mulher e dois filhos, chegou a realizar o teste para saber se havia sido infectado pela Covid-19, mas o resultado não ficou pronto. A corporação emitiu nota de falecimento, lamentando a morte do militar.

Outro caso seria o do tenente Sérgio Accioli de Souza Magalhães, lotado no Batalhão da Ilha do Governador (17°BPM), que também teria falecido em decorrência da doença, segundo postagem de um familiar nas redes sociais. Também, na segunda-feira (20) a PM já havia confirmado oficialmente a primeira morte em decorrência de coronavírus na corporação do Estado. Identificada como a sargento Carla Nascimento, de 46 anos, ela trabalhava como técnica de enfermagem e morreu devido a complicações respiratórias. A doença foi confirmada após duas testagens.

Ainda sem confirmação, há uma semana, outros três agentes de segurança pública morreram com sintomas suspeitos de Covid-19, mas sem confirmação oficial.

De acordo com a PM, pelo menos 34 policiais militares estariam infectados no Rio, o que tornaria a situação ainda mais dramática na corporação. Desde que começaram a ser adotadas as medidas de isolamento social para conter o avanço da doença, deram entrada 22 pacientes no Hospital Central da Polícia Militar, no Estácio, no Centro do Rio, e outros 11, nas mesmas condições, na Policlínica da corporação, em Cascadura, Zona Norte. De acordo com informações, a PM tem aceitado atestados médicos de unidades hospitalares públicas e de médicos particulares, que ajudam na detecção de casos suspeitos de Covid-19, mas os mesmos são submetidos a uma perícia médica na corporação. Em seguida é concedida uma licença ao agente.

Confira a nota da Polícia Militar

“A Secretaria de Estado de Polícia Militar tem realizado, por meio da Diretoria Geral de Saúde (DGS) da Corporação, campanhas internas de conscientização a respeito do novo coronavírus. Os policiais militares estão sendo orientados diariamente para manter as janelas das unidades e viaturas sempre abertas, limpar equipamentos e pontos de contato da viatura, evitar aproximação e cumprimentar através da continência, manter quando possível a distância de mais de um metro nos atendimentos de ocorrência, além da principal recomendação de lavar e higienizar as mãos com frequência. As atividades operacionais só podem ser exercidas por policiais militares em perfeitas condições de saúde, física e psicológica, grupo classificado pelo protocolo interno da Corporação como ‘Apto A’. Após a constatação dos primeiros casos de brasileiros infectados com o novo coronavírus, a Diretoria Geral de Saúde criou um procedimento adicional. Os policiais com sintomas gripais leves devem se dirigir às policlínicas ou ao Hospital de Niterói da Corporação para exames clínicos preliminares. Os policiais que apresentarem sinais mais fortes, como febre e falta de ar, devem se dirigir diretamente ao Hospital Central da Polícia Militar. A Polícia Militar informa que há 42 policiais militares infectados por Covid-19 e um óbito confirmado em decorrência da doença”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − 7 =