Mais de 1,5 mil caranguejos que seriam vendidos ilegalmente, são apreendidos

Próximo ao mercado São Pedro, no bairro Ponta d’Areia, seriam vendidos, ilegalmente, mais de 1500 caranguejos que foram apreendidos pela guarda municipal de Niterói. De acordo com o balanço da Guarda , essa é maior apreensão já realizada em época de defeso na cidade. Um homem foi levado para a 76 DP (Centro) onde ficou detido.

Os animais foram soltos na área de manguezal do Parque Estadual da Serra da Tiririca (Peset), em Itaipu, na Região Oceânica, por agentes da Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Os caranguejos foram apreendidos durante uma ação conjunta dos agentes da Coordenadoria de Meio Ambiente, Coordenadoria de Ações Táticas e da Inspetoria Regional da Guarda Municipal de Niterói.  

O subinspetor da Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal de Niterói, Jociley Neves, explicou que, todos os anos a Guarda combate o comércio ilegal de caranguejos e que, a apreensão de hoje foi muito acima do normal.

“É importante salientar que o defeso é a proibição da pesca enquanto a espécie se reproduz, e compreende os meses de outubro e novembro, estendendo-se até dezembro quando se tratar de fêmeas. Pedimos para que a população entre em contato conosco através do número 153, caso alguma irregularidade seja constatada durante esse período,” orientou Neves.

 Conforme portaria do Ibama, N-52, de 30/09/2003, o período de defeso inicia em 1º de outubro e segue até 30 de novembro para machos e fêmeas, e de 1 a 31 de dezembro para as fêmeas, no Estado do Rio de Janeiro.  Somente animais congelados inteiros podem ser comercializados, com a apresentação da declaração de estoque emitida pelas autoridades competentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 10 =