Mais de 100 Deputados e Senadores querem prorrogar seus mandatos

Mais de 100 Deputados e Senadores querem prorrogar seus mandatos

O alerta já tinha sido aceso pela “A Tribuna”: a possibilidade de prorrogação, por dois anos, dos mandatos dos atuais deputados federais, estaduais e senadores. Tornou-se evidente com a discussão visando incluir esta medida no projeto de Reforma Política já em apreciação na Câmara Federal, sob o pretexto de “recuperar os dois anos (20/21) de trabalhos legislativos” perdidos em função da pandemia, e para economizar R$ 1,2 bilhões para a realização do pleito, além de permitir a coincidência de mandatos”.

Foram identificados como abonadores do projeto parlamentares do “Centrão”, que temem ser os mais prejudicados com a eleição de 2022, acusados de utilizarem o Orçamento para elevar consideravelmente as dotações para as emendas parlamentares (para obras e serviços eleitoreiros), e de compactuação com a inércia governamental diante da expansão da pandemia.

Os partidos de esquerda e alguns do centro não governista, já estão se movimentando para impedir o que chamam de “projeto antidemocrático”.

Para não esquecer

Neste 20 de abril, há 49 anos, três delegados da DOPS invadiram a sede de “A Tribuna”, então na rua Barão do Amazonas, com a missão de prender seu diretor e iniciar a censura jornalística, atribuição que cabia apenas à Polícia Federal em substituição a oficiais do Exército.

Era proibido noticiar prisões e, sendo véspera do Dia de Tiradentes, a equipe criativa estampou na primeira página, o triângulo e o lema dos Inconfidentes – “Libertas quae sera tamem” – e uma foto do herói mineiro ao centro.

Todo o período de denúncias contra a corrupção no Governo Padilha foi narrado em uma série publicada por este jornal.

Apesar da proibição, “O Estado de São Paulo” fez campanha em defesa do jornal niteroiense.

“A Tribuna” está de pé. Os seus algozes não mereceram igual proteção.

Os novos tempos

Apressado, mas atento aos valores do que compra, um apressado idoso, entrou na farmácia, vigiado se usou o álcool gel disponibilizado e posicionado na marca de 1,5 m do painel, que protege os funcionários, indagou o preço de um remédio.

Gentilmente, a moça reconheceu-o como cliente, mas indagou o número do seu CPF. Digitou, para testar o cadastro de cliente, e indagou o número do seu aparelho celular. Tudo conformado, informou: “Aguarde… vou ligar para este número, transmitindo um código numérico, para confirmar”

Mas não acabou: “Ponha aqui o seu polegar para registro da sua digital.

O remédio custava algo em torno de R$ 100 e ficou na prateleira, mas a burotecnologia atrapalhou a féria do dia.

Não acostumado com tanta segurança e tanta modernidade, o cliente foi embora, resmungando: “No tempo anterior, a este de redes de franchising, os farmacêuticos – como “seu” Medina – sabiam de cor os preços, conheciam os remédios, e saiam dos balcões, levando o produto, além de dinheiro para troco”, quando não perguntavam se era para colocar a despesa na conta.

O tempo do fiado acabou e levou os dois dedicados farmacêuticos.

E no Detran

Com poucas agências para atender os 17 milhões de fluminenses e em suas variedades de atendimento, o Detran é criticado como todo serviço público.

Mas o mesmo cidadão sabendo da sobrecarga, aguardou o agendamento e foi lá.

Na portaria, sem fila, seu nome estava numa lista e bastava apresentar um documento de identificação para ter a permissão de acesso. Lá, não faltavam normas de segurança sanitária.

Apresentou-se na sala de pré-atendimento e ficou cinco minutos à espera. Entrou na sala de identificação e, em minutos, foram constatados seus dados, preenchida a ficha de solicitação, fotografado, deixando registrada, eletronicamente, a sua assinatura.

Tudo muito rápido para mudar o seu humor: saldou, elogiando a atenção e a simpatia de todas as meninas do setor do de habilitação.

Ah, se o Detran fosse uma destas redes de farmácias que tem mais de uma dezena de lojas abertas na mesma cidade, ao lado de outras redes concorrentes.

Luxo no Pet

O mais completo serviço de rações e cuidados com os pequenos animais vai colocar Niterói na vanguarda de qualidade e variedade de serviços prestados, inclusive com hotelaria e apoio social, com uma política de adoções.

Todo conforto para acolher e dar vida de luxo aos clientes será amplamente conhecido em maio. O mega estabelecimento já está montado na entrada do bairro do Jacaré, em Itaipu, e é fruto de longa experiência.

Café-livraria

O otimismo tomou conta do livreiro Cícero, e promete dar nova vida ao então abandonado entorno da Praça de São Domingos.

Onde era o “Bar do Renato”, ele está montando estantes e móveis para exposições, numa importante mudança: sai a boemia, entra a cultura no prédio renovado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 5 =