Mais caro: Gás natural vai subir

A Petrobras propôs à Naturgy, concessionária fornece gás natural para 74 municípios do estado do Rio de Janeiro, um aumento de 200% na molécula do insumo. A informação é do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT). Ele abordou o assunto em uma reunião, na segunda-feira (6), com o presidente interino da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Luiz Césio Caetano de Souza Alves, e representantes do setor de alimentos e bebidas, onde debateu a retomada do agronegócio e a estruturação de políticas públicas para a cadeia produtiva do estado.

Em informação divulgada a imprensa na terça-feira (7), a Alerj confirmou o encontro e o que foi dito pelo parlamentar.

“Precisamos chamar atenção porque isso inviabiliza o gás natural do estado. Tem uma rota que estamos disputando com São Paulo e tem aqui a Equinor Campo de Bacalhau. Vamos ter mais de 2 bilhões de reais no Fundo Soberano para implementar investimentos estruturantes. Se conseguirmos trazer para Itaguaí, viabilizamos as termelétricas, as siderúrgicas, e uma área grande em torno do Arco Metropolitano”, comentou Ceciliano.

O aumento a que se refere o presidente da Alerj deve produzir reflexos em todo fornecimento de gás feito pela concessionária. Ela é responsável pelo fornecimento de gás aos postos de abastecimento GNV, como também a quem é atendido com serviços de gás encanado em residências, principalmente apartamentos em condomínios. Ou seja: o que já está caro, pode ficar ainda mais.

Questionada acerca do assunto, a Naturgy esclareceu que, em janeiro, incidirá o reajuste no custo de aquisição do gás (molécula e transporte) comprado da Petrobras. “Trata-se de um reajuste por parte da Petrobras em razão da alta dos preços de gás internacionais e da variação do Brent e do dólar. São custos não gerenciáveis pela Naturgy e, portanto, o aumento do preço não traz nenhum ganho para a distribuidora” – disse, em nota.

No entanto, a concessionária não se pronunciou quanto ao percentual de aumento e sua incidência no preço final pago pelos consumidores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.