Maioria no TRE-RJ vota por inelegibilidade de Crivella, mas desembargador suspende

Prefeito do Rio ainda pode concorrer à reeleição até que todos os recursos estejam esgotados, como levar o caso ao TSE e ao STF

Em julgamento nesta segunda-feira (21) à tarde, cinco entre sete desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) votaram pela inelegibilidade do prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), por oito anos, condenado por abuso de poder político e conduta vedada. Entretanto, o desembargador Vitor Marcelo Aranha Afonso Rodrigues pediu vista suspendendo o julgamento. O processo deve voltar a ser discutido no TRE-RJ na quinta-feira (24).

Crivella é acusado de usar veículos e funcionários da Companhia de Limpeza Urbana do Rio de Janeiro (Comlurb) para promover um evento de campanha do filho Marcelo Hodge Crivella, que tentava se eleger deputado federal, e Alessandro Costa, que concorreu a deputado estadual.

O prefeito é candidato à reeleição e pode concorrer até que o caso seja transitado em julgado, ou seja, que todos os recursos estejam esgotados. Ele ainda poderia levar o caso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao Supremo Tribunal Federal (STF). O Ministério Público Eleitoral pede também multa além da inelegibilidade por oito anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 6 =