Magé realiza seu 3º Fórum Municipal de Saúde Mental

A Prefeitura de Magé, por meio da Secretaria de Saúde, realizou na última quarta-feira (17), o 3º Fórum de Saúde Mental da cidade. Com o tema “Tecendo a Rede de Cuidado em Saúde Mental”, o evento promoveu a discussão e articulação com a rede intersetorial para buscar propostas para enfrentar os desafios que se colocam no cenário do cuidado em sociedade.

“Esse 3º fórum veio para dar continuidade nas discussões das edições anteriores, onde nós já começamos a tratar as políticas de Saúde Mental não só em Magé, mas em todo o país, porque tivemos a reforma na área Saúde Mental há três anos. São constantes discussões e hoje nos reunimos para ouvir os profissionais, mostrar a Rede de Atenção à Saúde Mental de Magé e tocar todos os projetos que temos em pauta”, explicou a secretária de Saúde, Carine Tavares.

O fórum reuniu profissionais da Saúde, Assistência Social e Educação para discutir as propostas da rede intersetorial, que permite a integração dos diversos serviços, órgãos e instituições comprometidas com a efetivação dos direitos dos cidadãos.

“A gente sabe que os portadores de transtornos mentais são nossos pacientes e eles são assistidos pelo Caps e o CREAS, não só pela Saúde. São os alunos das escolas municipais também. Hoje temos representantes desses setores na rede para que a gente busque juntos soluções para enfrentarmos os desafios. Em algumas reuniões notamos que existem algumas barreiras e a proposta hoje é acabar com elas, aprimorando o nosso cuidado para melhor atendermos aos nossos munícipes”, mencionou a coordenadora da Saúde Mental, Michelle Medeiros.

A apoiadora regional da Metropolitana I, Nelly de Azeredo, da Gerência de Saúde Mental da Secretaria Estadual de Saúde destacou a importância dos fóruns e falou sobre a Rede de Saúde Mental de Magé.

“Um dos espaços de trabalho da Saúde Mental são os fóruns que acontecem nos municípios, porque neles articulamos as políticas de Saúde Mental. Em Magé sempre teve muito apoio nesse quesito. Nos últimos anos, o município ampliou a rede com os Caps e os leitos de Saúde Mental que são os dispositivos que a população precisa. É uma política diferenciada, porque ela precisa estar articulada com todas as outras políticas. São nesses fóruns que a gente encontra Atenção Básica, Saúde Mental, Rede de Assistência Social e Educação, porque sem esses parceiros a gente não consegue criar um cuidado ampliado”, ressaltou Nelly.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *